09-h76

 

800x500-MINDMAP-v2

800x500-PROCESSOS-v1

800x500-AUDIO-v1

800x500-SIMULADO-v1

PMBOK© 5ª edição

GLOSSÁRIO

 

1.   INCLUSÕES E EXCLUSÕES

 

Este glossário inclui termos que:

·      São exclusivos ou praticamente exclusivos da área de gerenciamento de projetos (por exemplo, especificação do escopo do projeto, pacote de trabalho, estrutura analítica do projeto, método do caminho crítico).

·      Não são exclusivos da área de gerenciamento de projetos, mas são usados de forma diferente ou com um significado mais específico em gerenciamento de projetos do que em seu uso rotineiro (por exemplo, data de início mais cedo).

 

De forma geral, este glossário não inclui:

·      Termos específicos de alguma área de aplicação.

·      Termos cujo uso em gerenciamento de projetos não difere muito do seu uso rotineiro (por exemplo, dia do calendário, atraso).

·      Termos compostos cujo significado é deduzido claramente pela combinação de seus componentes.

·      Variantes, quando seu significado é deduzido claramente a partir do termo.

 

Em função das inclusões e exclusões acima, este glossário contém:

·      Uma predominância de termos relacionados ao gerenciamento do escopo do projeto, gerenciamento do tempo do projeto e gerenciamento dos riscos do projeto, uma vez que muitos dos termos usados nessas áreas de conhecimento são exclusivos ou praticamente exclusivos do gerenciamento de projetos.

·      Muitos termos do gerenciamento da qualidade do projeto, uma vez que esses termos são usados de forma mais específica que em seu uso rotineiro.

·      Relativamente poucos termos relacionados ao gerenciamento dos recursos humanos do projeto, gerenciamento das comunicações do projeto, e Gerenciamento das Partes Interessadas no Projeto, uma vez que a maioria dos termos usados nessas áreas de conhecimento não difere muito do uso rotineiro.

·      Relativamente poucos termos relacionados ao gerenciamento dos custos do projeto, gerenciamento da integração do projeto e gerenciamento das aquisições do projeto, uma vez que muitos dos termos usados nessas áreas de conhecimento têm significados especiais que são exclusivos de uma área de aplicação específica.

 

2.   ACRÔNIMOS COMUNS

 

1.       CCM        Comitê de controle de mudanças / Change Control Board (CCB)

2.       CDQ        Custo da qualidade / Cost of Quality (COO)

3.       CMRF     Custo mais remuneração fixa / Cost-Plus-Fixed-Fee (CPFF)

4.       CMRI       Custo mais remuneração de incentivo / Cost-Plus-lncentive-Fee (CPIF)

5.       CONV     Convite para licitação / Invitation for Bid (IFB)

6.       CMRC     Custo mais remuneração concedida / Cost Plus Award Fee (CPAF)

7.       CO           Controle da qualidade / Desdobramento da função qualidade (DFQ)

8.       CR           Custo real / Actual Cost (AC)

9.       CRTR      Custo real do trabalho realizado / Actual Cost of Work Performed (ACWP)

10.     EAP         Estrutura analítica do projeto / Work Breakdown Structure (WBS)

11.     EAO        Estrutura analítica organizacional / Organizational Breakdown Structure (OBS)

12.     EAR        Estrutura analítica dos riscos / Risk Breakdown Structure (RBS)

13.     ENT         Estimativa no término / Estimate at Completion (EAC)

14.     EPT         Estimativa para terminar / Estimate to Complete (ETC)

15.     ET           Especificação do trabalho / Statement of Work (SOW)

16.     EV           Engenharia de valor / Value Engineering (VE)

17.     FMEA      Análise de modos e efeitos de falha / Failure Mode and Effect Analysis (FMEA)

18.     FT                       Folga total / Total Float (TF)

19.     GQT        Gerenciamento da qualidade total / Total Quality Management (TOM)

20.     GVA        Gerenciamento do valor agregado / Earned Value Management (EVM)

21.     IDC          Índice de desempenho de custos / Cost Performance Index (CPI)

22.     IDP          Índice de desempenho de prazos / Schedule Performance Index (SPI)

23.     II              Início para início / Start-to-Start (SS)

24.     IMC         Data de início mais cedo / Early Start date (ES)

25.     IMT          Data de início mais tarde / Late Start date (LS)

26.     MCC        Método do caminho crítico / Critical Path Method (CPM)

27.     MDP        Método do diagrama de precedência / Precedence Diagramming Method (PDM)

28.     MR          Matriz de responsabilidades / Responsibility Assignment Matrix (RAM)

29.     NDE        Nível de esforço / Level of Effort (LOE)

30.     ONT        Orçamento no término / Budget at Completion (BAC)

31.     PFG         Contrato de preço fixo garantido (CPFG) / Firm-Fixed-Price Contract (CPFG)

32.     PFRI        Preço fixo com remuneração de incentivo / Fixed-Price-incentive-Fee (FPIF)

33.     PMBOK  Conhecimento em gerenciamento de projetos / Project Management Body of          Knowledge

34.     RACI       Responsável pela execução, responsável pela aprovação, é consultado e                informado / Responsible, Accountable, Consult and inform (RACI)

35.     SDI          Solicitação de informações / Request for Information (REI)

36.     SDC        Solicitação de cotação / Request for Quotation (RFO)

37.     SDP         Solicitação de proposta / Request for Proposal (RFP)

38.     SIGP       Sistema de informações do gerenciamento de projetos / Project                               Management Information System (PMIS)

39.     SWOT     Forças, fraquezas, oportunidades e ameaças / Strengths, Weaknesses,      Opportunities, and Threats

40.     TA           Data de término agendada / Scheduled Finish date (SF)

41.     TI             Término para início / Finish-to-Start (FS)

42.     TMC        Data de término mais cedo / Early Finish date (EF)

43.     TMT        Data de término mais tarde / Late Finish date (LF)

44.     TT                       Término para término / Finish-to-Finish (FF)

45.     VA           Valor agregado / Earned Value (EV)

46.     VNT         Variação no término / Variance at completion (VAC)

47.     VC           Variação de custos / Cost Variance (CV)

48.     VME        Valor monetário esperado / Expected Monetary Value (EMV)

49.     VPR         Variação de prazos / Schedule Variance (SV)

50.     VP           Valor planejado / Planned Value (PV)

 

3.   DEFINIÇÕES

 

Muitas palavras apresentadas neste documento possuem definições mais amplas e, em alguns casos, diferentes das encontradas em dicionários.

 

As definições utilizam as seguintes convenções:

·      Os termos usados como parte das definições e que estão definidos no glossário são indicados em itálico.

o   Quando o mesmo termo do glossário aparece mais de uma vez em uma determinada definição, somente a primeira ocorrência é indicada em itálico.

o   Em alguns casos, um único termo do glossário é composto de várias palavras (por exemplo, avaliação da urgência do risco).

o   Em vários casos, existem diversos termos consecutivos do glossário dentro de uma determinada definição. Por exemplo, estimativa da duração indica duas entradas separadas do glossário, uma para "duração" e outra para "estimativa".

o   Existem ainda algumas definições com uma sequência de palavras consecutivas em itálico (não separadas por vírgulas) que representam diversos termos consecutivos do glossário, com pelo menos um deles composto de várias palavras. Por exemplo, data de término mais tarde do método do caminho crítico indica duas entradas separadas do glossário, uma para "método do caminho crítico" e outra para "data de término mais tarde". Em situações como essa, aparecerá um asterisco (*) após a última palavra em itálico na sequência para indicar que existem vários termos adjacentes do glossário.

·      Nenhuma definição é fornecida quando estão incluídos sinônimos, e o leitor é encaminhado para o termo preferido (ou seja, veja o termo preferencial).

·      Termos relacionados que não sejam sinônimos são indicados como referência cruzada no final da definição (ou seja, veja também o termo relacionado).

 

1.           Ação corretiva / Corrective Action. Uma atividade intencional que realinha o desempenho dos trabalhos do projeto com o plano de gerenciamento do projeto.

2.           Ação preventiva / Preventive Action. Uma atividade intencional para garantir que o desempenho futuro do trabalho do projeto esteja alinhado com o plano de gerenciamento do projeto.

3.           Aceitação de risco / Risk Acceptance. Uma estratégia de resposta ao risco em que a equipe do projeto decide reconhecer a existência do risco e não agir, a menos que o risco ocorra.

4.           Acordos / Agreements. Qualquer documento ou comunicação que define as intenções iniciais do projeto. Podem tomar a forma de um contrato, memorando de acordo prévio (MAP), cartas de compromisso, acordos verbais, e-mails, etc.

5.           Acordos negociados / Negotiated Settlements. O processo de se chegar a um acordo final justo relativo a todas as questões, reclamações e disputas pendentes, através de negociação.

6.           Aderência / Compliance. Um conceito geral de conformidade com uma regra, padrão, lei, ou requisito tal que a avaliação de conformidade termine em um resultado binomial declarado como "em conformidade" ou "fora de conformidade".

7.           Administração de reivindicações / Claims Administration. O processamento, adjudicação e comunicação de reclamações contratuais.

8.           Agregação de custos / Cost Aggregation. Soma das estimativas dos custos de nível mais baixo associados com os vários pacotes de trabalho de um dado nível dentro da estrutura analítica do projeto (EAP) ou uma dada conta de controle de custos.

9.           Agrupamento / Colocation. Uma estratégia de colocação organizacional em que os membros da equipe do projeto são fisicamente colocados próximos uns dos outros para melhorar a comunicação, as relações de trabalho e a produtividade.

10.         Ajuste de antecipações e esperas / Adjusting Leads and Lags. Técnica usada durante a execução do projeto para encontrar maneiras de alinhar as atividades do projeto que estão atrasadas com o plano.

11.         Ameaça / Threat. Um risco que teria um efeito negativo em um ou mais objetivos do projeto.

12.         Amostragem de atributos / Attribute Sampling. Método de medição da qualidade que consiste em notar a presença (ou ausência) de alguma característica (atributo) em cada uma das unidades sob consideração. Após a inspeção de cada unidade, decide-se aceitar um lote, rejeitá-lo, ou inspecionar outra unidade.

13.         Amostragem estatística / Statistical Sampling. A escolha de parte de uma população de interesse para inspeção.

14.         Análise da árvore de decisão / Decision Tree Analysis. Uma técnica de diagramação e de cálculo para avaliar as implicações de uma corrente de opções múltiplas na presença de uma incerteza.

15.         Análise das partes interessadas / Stakeholder Analysis. A análise de partes interessadas é uma técnica de coleta e análise sistemática de informações quantitativas e qualitativas para determinar quais interesses devem ser considerados durante o projeto.

16.         Análise das solicitações de mudança aprovadas / Approved Change Requests Review. Uma avaliação das solicitações de mudança para verificar se elas foram implementadas conforme foram aprovadas.

17.         Análise de alternativas / Alternative Analysis. Técnica usada para avaliar as opções identificadas, a fim de selecionar as opções ou abordagens a serem usadas para executar e desenvolver o trabalho do projeto.

18.         Análise de cenário E-Se / What-If Scenario Analysis. O processo de avaliar cenários a fim de predizer seus efeitos nos objetivos do projeto.

19.         Análise de custo-benefício / Cost-Benefit Analysis. Uma ferramenta de análise financeira usada para determinar os benefícios providos por um projeto em relação aos seus custos.

20.         Análise de decisão envolvendo critérios múltiplos / Multi-Criteria Decision Analysis. Esta técnica utiliza uma matriz de decisão que fornece uma abordagem analítica sistemática para o estabelecimento de critérios, como níveis de risco, incerteza e avaliação, para avaliar e classificar muitas ideias.

21.         Análise de desempenho / Performance Reviews. Uma técnica usada para medir, comparar, e analisar o desempenho real do trabalho do projeto em progresso, em relação à linha de base.

22.         Análise de fazer ou comprar / Make-or-Buy Analysis. O processo de reunir e organizar dados sobre os requisitos do produto e analisá-los em relação às alternativas disponíveis, incluindo a compra ou manufatura interna do produto.

23.         Análise de forças, fraquezas, oportunidades e ameaças (SWOT) / SWOT Analysis. A análise dos pontos fortes (Strengths), fracos (Weaknesses), das oportunidades (Opportunities) e ameaças (Threats) a uma organização, projeto, ou opção.

24.         Análise de listas de verificação / Check-list Analysis. Uma técnica para verificar os materiais de maneira sistemática, usando uma lista para determinar a exatidão e completude.

25.         Análise de modos e efeitos de falha (FMEA) / Failure Mode and Effect Analysis (FMEA). Um procedimento analítico no qual cada modo de falha potencial em cada componente de um produto é analisado para determinar seu efeito na confiabilidade desse componente e, por ele mesmo ou em combinação com outros possíveis modos de falha, na confiabilidade do produto ou sistema e na função necessária do componente, ou o exame de um produto (no sistema e/ou em níveis inferiores) para verificar todas as maneiras possíveis de ocorrência de falha. Para cada falha potencial, é feita uma estimativa do seu efeito no sistema total e do seu impacto. Além disso, é realizada uma análise da ação planejada para minimizar a probabilidade de falha e seus efeitos.

26.         Análise de Monte Carlo / Monte Carlo Analysis. Uma técnica que calcula, por meio de iterações, os custos do projeto ou o cronograma do projeto várias vezes usando valores de entrada selecionados aleatoriamente a partir de distribuições de probabilidade dos possíveis custos ou durações para calcular uma distribuição do custo total possível do projeto ou de datas de término.

27.         Análise de premissas / Assumptions Analysis. Uma técnica que explora a exatidão das premissas e identifica os riscos para o projeto causados pelo caráter inexato, inconsistente ou incompleto das premissas.

28.         Análise de processo / Process Analysis. A análise de processos segue as etapas descritas no plano de melhorias no processo para identificar as melhorias necessárias.

29.         Análise de produto / Product Analysis. Para os projetos que possuem um produto como entrega, é uma ferramenta de definição do escopo que geralmente implica em fazer perguntas sobre esse produto e criar respostas para descrever o uso, as características, e outros aspectos relevantes do que será fabricado.

30.         Análise de rede / Network Analysis. Veja análise de rede do cronograma.

31.         Análise de rede do cronograma / Schedule Network Analysis. A técnica de identificação das datas de início mais cedo e mais tarde e também das datas de término mais cedo e mais tarde das partes incompletas das atividades do cronograma do projeto. Veja também caminho de volta, método do caminho crítico, método da corrente crítica e nivelamento de recursos.

32.         Análise de regressão / Regression Analysis. Uma técnica analítica em que uma série de variáveis de entrada são analisadas em relação aos resultados de saídas correspondentes a fim de desenvolver um relacionamento matemático ou estatístico.

33.         Análise de requisitos das comunicações / Communication Requirements Analysis. Uma técnica analítica para estabelecer as necessidades de informação das partes interessadas através de entrevistas, oficinas, estudo das lições aprendidas nos projetos anteriores, etc.

34.         Análise de reservas / Reserve Analysis. Uma técnica analítica para determinar as características e relações essenciais dos componentes do plano de gerenciamento do projeto a fim de estabelecer a reserva para a duração do cronograma, orçamento, custo estimado ou fundos de um projeto.

35.         Análise de sensibilidade / Sensitivity Analysis. Uma técnica de análise quantitativa e modelagem de riscos usada para ajudar a determinar quais riscos apresentam maior impacto potencial no projeto. Ela examina a extensão com que a incerteza de cada elemento do projeto afeta o objetivo que está sendo examinado quando todos os outros elementos incertos são mantidos em seus valores de linha de base. A representação típica dos resultados é na forma de um diagrama de tornado.

36.         Análise de tendências / Trend Analysis. Uma técnica analítica que usa modelos matemáticos para prever resultados futuros com base em resultados históricos. É um método para determinação da variação de um parâmetro de orçamento, custo, cronograma ou escopo em relação a uma linha de base utilizando dados de períodos anteriores de relatórios de progresso e projetando qual seria a variação desse parâmetro em relação à linha de base em algum ponto futuro no projeto se não houvesse mudança na execução do projeto.

37.         Análise de variação / Variance Analysis. Uma técnica para determinar a causa e o grau de diferença entre a linha de base e o desempenho real.

38.         Análise de causa-raiz / Root Cause Analysis. Uma técnica analítica usada para determinar a razão subjacente básica que causa uma variação, um defeito ou um risco. Uma causa-raiz pode provocar mais de uma variação, defeito ou risco.

39.         Análise do valor monetário esperado (VME) / Expected Monetary Value (EMV) Analysis. Uma técnica estatística que calcula o resultado médio quando o futuro inclui cenários que podem ou não acontecer. Uma utilização comum desta técnica está na análise da árvore de decisão.

40.         Análise dos documentos / Document Analysis. Uma técnica de obtenção de informações que analisa a documentação existente e identifica as informações relevantes aos requisitos.

41.         Análises de desempenho das aquisições / Procurement Performance Reviews. Uma avaliação estruturada do progresso do fornecedor para entregar o escopo e a qualidade do projeto, dentro dos custos e do cronograma, em comparação com o contrato.

42.         Antecipação / Lead. A quantidade de tempo que uma atividade sucessora pode ser adiantada em relação a uma atividade predecessora.

43.         Apetite de risco / Risk Appetite. O grau de incerteza que uma entidade está disposta a aceitar, na expectativa de uma recompensa.

44.         Aplicação de antecipações e esperas / Applying Leads and Lags. Técnica usada para ajustar a quantidade de tempo entre atividades predecessoras e sucessoras.

45.         Aquisições encerradas / Closed Procurements. Contratos de projeto ou outros acordos de aquisição que foram formalmente reconhecidos pelo devido agente autorizado como tendo sido finalizados e recebido o aceite final.

46.         Área de aplicação / Application Area. Uma categoria de projetos que possuem componentes comuns significativos, mas que não são necessários ou estão presentes em todos os projetos. As áreas de aplicação são geralmente definidas em termos de produto (ou seja, por tecnologias ou métodos de produção semelhantes), tipo de cliente (ou seja, interno versus externo, governamental versus comercial) ou setor industrial (ou seja, utilitários, automotivo, aeroespacial, tecnologias da informação, etc.).As áreas de aplicação podem se sobrepor.

47.         Área de conhecimento em gerenciamento de projetos / Project Management Knowledge Area. Uma área identificada de gerenciamento de projetos definida por seus requisitos de conhecimentos e descrita em termos dos processos que a compõem, suas práticas, entradas, saídas, ferramentas e técnicas.

48.         Atividade / Activity. Uma parte distinta e programada do trabalho executado no decorrer do projeto.

49.         Atividade de resumo / Summary Activity. Um grupo de atividades relacionadas do cronograma, agregadas e exibidas como uma atividade única, de resumo.

50.         Atividade do caminho crítico / Critical Path Activity. Qualquer atividade no caminho crítico do cronograma de um projeto.

51.         Atividade no nó (ANN) / Activity-on-Node (AON). Veja método do diagrama de precedência (MDP).

52.         Atividade predecessora / Predecessor Activity. Uma atividade que, de acordo com a lógica, vem antes de uma atividade que depende da mesma, em um cronograma.

53.         Atividade quase crítica / Near-Critical Activity. Uma atividade do cronograma que possui folga total pequena. O conceito de quase crítica é igualmente aplicável a uma atividade do cronograma ou a um caminho de rede do cronograma. O limite abaixo do qual a folga total é considerada quase crítica depende de opinião especializada e varia de projeto para projeto.

54.         Atividade sucessora / Successor Activity. Uma atividade dependente que logicamente vem depois de outra atividade de um cronograma.

55.         Atividade sumarizadora / Hammock Activity. Veja atividade de resumo.

56.         Ativos de processos organizacionais / Organizational Process Assets. Planos, processos, políticas, procedimentos, e bases de conhecimento específicas usadas pela organização executora.

57.         Atributos das atividades / Activity Attributes. Vários atributos associados a cada atividade do cronograma que podem ser incluídos na lista de atividades. Os atributos da atividade incluem códigos de atividades, atividades predecessoras, atividades sucessoras, relacionamentos lógicos, antecipações e esperas, recursos necessários, datas impostas, restrições e premissas.

58.         Auditorias de aquisições / Procurement Audits. A análise de contratos e processos de contratação para verificar sua completude, exatidão e eficácia.

59.         Auditorias de qualidade / Quality Audits. Uma auditoria da qualidade é uma revisão estruturada e independente para determinar se as atividades do projeto estão cumprindo as políticas, os processos e os procedimentos da organização e do projeto.

60.         Auditorias de riscos / Risk Audits. As auditorias de riscos examinam e documentam a eficácia das respostas para lidar com os riscos identificados e suas causas-raiz, bem como a eficácia do processo de gerenciamento dos riscos.

61.         Autoridade / Authority. O direito de aplicar recursos do projeto, usar fundos, tomar decisões ou fornecer aprovações.

62.         Autorização do trabalho / Work Authorization. Uma permissão e uma orientação, normalmente escrita, para iniciar o trabalho em uma atividade do cronograma, pacote de trabalho ou conta de controle específica. É um método de aprovação do trabalho do projeto para garantir que o trabalho será realizado pela organização identificada, no momento certo e na sequência adequada.

63.         Avaliação da urgência dos riscos / Risk Urgency Assessment. Avaliação e determinação do momento de execução das ações que possam ter a necessidade de ocorrer mais cedo que outros itens de risco.

64.         Avaliação de qualidade dos dados sobre riscos / Risk Data Quality Assessment. Técnica para avaliar o grau de utilidade dos dados a respeito dos riscos para o gerenciamento dos mesmos.

65.         Backlog/ Backlog. Uma lista de requisitos e entregas de produto a serem completados, relatados por escrito e priorizados pela organização para gerenciar e organizar os trabalhos do projeto.

66.         Base de conhecimento de lições aprendidas / Lessons Learned Knowledge Base. Um repositório de informações históricas e lições aprendidas sobre os resultados de decisões de seleção de projetos anteriores e do desempenho de projetos anteriores.

67.         Bases das estimativas / Basis of Estimates. Documentos de apoio que delineamos detalhes usados no estabelecimento das estimativas do projeto, como premissas, restrições, nível de detalhe, limites, e níveis de confiança.

68.         Benchmarking/ Benchmarking. Benchmarking envolve a comparação de práticas reais ou planejadas, tais como processos e operações, com as de organizações comparáveis para identificar as melhores práticas, gerar ideias para melhorias e fornecer uma base para medir o desempenho.

69.         Brainstorming I Brainstorming. Uma técnica geral de coleta de dados e exercício de criatividade que pode ser usada para identificar riscos, ideias ou soluções para problemas usando um grupo de membros da equipe ou especialistas no assunto.

70.         Buffer I Buffer. Veja Reserva de Contingência.

71.         Business case / Business Case. Estudo documentado de viabilidade econômica usado para determinar a validade dos benefícios de um componente ainda sem definição suficiente, usado como base para a autorização de outras atividades de gerenciamento de projeto.

72.         Calendário do projeto / Project Calendar. Um calendário que identifica os dias úteis e os turnos disponíveis para a execução das atividades agendadas.

73.         Calendário dos recursos / Resource Calendar. Um calendário que identifica os dias úteis e turnos em que cada recurso específico encontra-se disponível.

74.         Caminho crítico / Critical Path. A sequência de atividades que representa o caminho mais longo de um projeto, que determina a menor duração possível.

75.         Caminho de ida / Forward Pass. Uma técnica do método do caminho crítico para calcular as datas de início mais cedo e datas de início mais tarde percorrendo o caminho de ida do modelo do cronograma a partir da data do início do projeto, ou num dado momento.

76.         Caminho de rede / Network Path. Qualquer série contínua de atividades do cronograma conectadas a relacionamentos lógicos em um diagrama de rede do cronograma do projeto.

77.         Caminho de volta / Backward Pass. Uma técnica do método do caminho crítico para calcular as datas de início mais tarde e término mais tarde das atividades, percorrendo a lógica de rede do cronograma pelo seu caminho de volta, a partir da data do término do projeto.

78.         Categoria de risco / Risk Category. Um grupo de possíveis causas de riscos.

79.         Categorização de riscos / Risk Categorization. Os riscos do projeto podem ser categorizados por fontes de risco (por exemplo, usando a EAR), área afetada do projeto (por exemplo, usando a EAP) ou outra categoria útil (por exemplo, fase do projeto) para determinar as áreas do projeto mais expostas aos efeitos da incerteza.

80.         Ciclo de vida / Life Cycle. Veja ciclo de vida do projeto.

81.         Ciclo de vida adaptativo / Adaptive Life Cycle. Um ciclo de vida de projeto, também conhecido como "orientado" à mudança ou métodos ágeis, que destina-se a facilitar a mudança e que exige um contínuo e alto grau de envolvimento das partes interessadas. Os ciclos de vida adaptativos são também iterativos e incrementais, a diferença é que as iterações são muito rápidas (geralmente com uma duração de 2 a 4 semanas), com tempo e recursos fixos.

82.         Ciclo de vida do produto / Product Life Cycle. A série de fases que representam a evolução de um produto, da sua concepção à entrega, crescimento, maturidade, e retirada.

83.         Ciclo de vida do projeto / Project Life Cycle. A série de fases pelas quais um projeto passa, do início ao término.

84.         Ciclo de vida incremental / Incremental Life Cycle. Ciclo de vida do projeto em que o escopo do projeto é geralmente determinado no início do ciclo de vida do mesmo, e as estimativas de tempo e custos são rotineiramente modificadas à proporção que a compreensão do produto pela equipe do projeto aumenta. As iterações desenvolvem o produto através de uma série de ciclos repetidos, enquanto os incrementos sucessivamente acrescentam à funcionalidade do produto.

85.         Ciclo de vida iterativo / Iterative Life Cycle. Ciclo de vida do projeto em que o escopo do projeto é geralmente determinado no início do ciclo de vida do mesmo, mas as estimativas de tempo e custos são rotineiramente modificadas à proporção que a compreensão do produto pela equipe do projeto aumenta. Iterações desenvolvem o produto através de uma série de ciclos repetidos, enquanto os incrementos sucessivamente acrescentam à funcionalidade do produto.

86.         Ciclo de vida preditivo / Predictive Life Cycle. Uma forma de ciclo de vida do projeto em que o escopo do projeto, bem como o tempo e custos exigidos para entregar tal escopo são determinados o mais cedo possível no seu ciclo de vida.

87.         Cliente / Customer. Cliente é (são) a(s) pessoa(s) ou organização(ções) que pagará (rão) pelo produto, serviço, ou resultado do projeto. Os clientes podem ser internos ou externos à organização executora.

88.         Código da atividade / Activity Code. Um ou mais valores numéricos ou de texto que identificam as características do trabalho, ou de alguma forma categorizam a atividade do cronograma, que permitem a filtragem e a ordenação das atividades dentro dos relatórios.

89.         Código de contas / Code of Accounts. Qualquer sistema de numeração utilizado para identificar de modo exclusivo cada componente da estrutura analítica do projeto (EAP).

90.         Coletar os requisitos / Collect Requirements. O processo de determinar, documentar e gerenciar as necessidades e requisitos das partes interessadas a fim de atender aos objetivos do projeto.

91.         Comitê de controle de mudanças (CCM) / Change Control Board (CCB). Um grupo formalmente constituído para revisar, avaliar, aprovar, adiar ou rejeitar mudanças no projeto, registrar e comunicar tais decisões.

92.         Componente da estrutura analítica do projeto / Work Breakdown Structure Component. Um item na estrutura analítica do projeto que pode estar em qualquer nível.

93.         Comprador / Buyer. Aquele que adquire produtos, serviços ou resultados de uma organização.

94.         Compressão / Crashing. Uma técnica usada para reduzir a duração do cronograma do projeto usando o menor custo incremental através da adição de recursos.

95.         Compressão de cronograma / Schedule Compression. Técnicas usadas para reduzir a duração do cronograma, sem diminuir o escopo do projeto.

96.         Condição de gatilho / Trigger Condition. Um evento ou situação que indica que um risco está prestes a ocorrer.

97.         Conduzir as aquisições / Conduct Procurements. O processo de obtenção de respostas de fornecedores, seleção de um fornecedor e adjudicação de um contrato.

98.         Conformidade / Conformance. No sistema de gerenciamento de qualidade, conformidade é um conceito geral de entrega de resultados que se enquadram nos limites que definem a variação aceitável para um requisito de qualidade.

99.         Conhecimento em gerenciamento de projetos / Project Management Body of Knowledge. Uma expressão abrangente que descreve a soma dos conhecimentos contidos na profissão de gerenciamento de projetos. Assim como em outras profissões como advocacia, medicina e contabilidade, o conhecimento pertence aos profissionais e acadêmicos que o aplicam e o desenvolvem. O conhecimento completo em gerenciamento de projetos inclui práticas tradicionais comprovadas amplamente aplicadas e práticas inovadoras que estão surgindo na profissão. O conhecimento inclui materiais publicados e não publicados. Este conhecimento está em constante evolução. O Guia PMBOK do PMI identifica o subconjunto desse conhecimento em gerenciamento de projetos que é geralmente reconhecido como boa prática.

100.       Conta de controle / Control Account. Ponto de controle gerencial onde o escopo, o orçamento, o custo real e o cronograma são integrados e comparados com o valor agregado visando a medição do desempenho.

101.       Contingência / Contingency. Um evento ou ocorrência que possa interferir na execução do projeto e que possa ser justificado com uma reserva.

102.       Contorno / Workaround. Resposta a uma ameaça que ocorreu, para a qual uma resposta não foi planejada, ou não foi eficaz.

103.       Contratação / Acquisition. Obter recursos humanos e materiais necessários à execução das atividades do projeto. A contratação implica em custos de recursos, que não são necessariamente financeiros.

104.       Contratar ou mobilizar a equipe do projeto / Acquire Project Team. O processo de confirmação da disponibilidade dos recursos humanos e obtenção da equipe necessária para terminar as atividades do projeto.

105.       Contrato / Contract. Um contrato é um acordo que gera obrigações para as partes, e que obriga o fornecedor a prover o produto, serviço ou resultado especificado e o comprador a pagar por ele.

106.       Contrato de custo mais remuneração concedida (CMRC) / Cost Plus Award Fee Contract (CPAF). Uma categoria de contrato que envolve pagamentos (reembolsos de custos) ao fornecedor por todos os custos reais e legítimos incorridos para o trabalho concluído, acrescidos de uma remuneração que corresponde ao lucro do fornecedor.

107.       Contrato de custo mais remuneração de incentivo (CMRI) / Cost Plus Incentive Fee Contract (CPIF). Um tipo de contrato de custos reembolsáveis em que o comprador reembolsa o fornecedor pelos custos permitidos (definidos pelo contrato) ao fornecedor; o fornecedor terá direito ao seu bônus se atender aos critérios de desempenho definidos.

108.       Contrato de custo mais remuneração fixa (CMRF) / Cost Plus Fixed Fee Contract (CPFF). Um tipo de contrato de custos reembolsáveis em que o comprador reembolsa o fornecedor pelos custos permitidos (definidos pelo contrato) ao fornecedor, acrescidos de um valor fixo de lucro (remuneração).

109.       Contrato de custos reembolsáveis / Cost-Reimbursable Contract. Um tipo de contrato que envolve o pagamento ao fornecedor pelos custos reais do fornecedor, acrescidos de uma remuneração que normalmente representa o lucro do fornecedor. Os contratos de custos reembolsáveis frequentemente incluem clausulas de incentivo em que, se o fornecedor atingir ou superar os objetivos determinados para o projeto, tais como metas de cronograma ou custo total, recebera do comprador um incentivo ou pagamento de bônus.

110.       Contrato de preço fixo / Fixed-Price Contract. Um acordo que estabelece a remuneração que será paga para um escopo de trabalho definido, independentemente do custo ou esforço para entregá-lo.

111.       Contrato de preço fixo com ajuste econômico do preço (PFAEP) / Fixed Price with Economic Price Adjustment Contract (FP-EPA). E um contrato de preço fixo, mas com uma clausula especial que prevê ajustes finais pré-definidos no preço do contrato devido a mudanças nas condições, tais como alterações na inflação ou aumento (ou diminuição) de custos para determinadas mercadorias.

112.             Contrato de preço fixo com remuneração de incentivo (PFRI) / Fixed Price Incentive Fee Contract (FPIF). Um tipo de contrato em que o comprador paga ao fornecedor um valor determinado (conforme definido pelo contrato) e pelo qual o fornecedor poderá ganhar um valor adicional se atender aos critérios de desempenho definidos.

113.       Contrato de preço fixo garantido (PFG) / Firm-Fixed-Price Contract (FFP). Um tipo de contrato de preço fixo em que o comprador paga ao fornecedor um valor determinado (conforme definido pelo contrato), independentemente dos custos do fornecedor.

114.       Contratos por tempo e material (T&M) / Time and Material Contract (T&M). Um tipo de contrato hibrido, contendo aspectos de contratos de custos reembolsáveis e de preço fixo. Os contratos por tempo e material se assemelham aos acordos do tipo com custos reembolsáveis por serem modificáveis, já que o valor total do acordo não a definido no momento em que ele a firmado. Dessa forma, os contratos por tempo e material podem ter o seu valor aumentado como se fossem acordos de custos reembolsáveis. Por outro lado, os acordos por tempo e material podem também ser semelhantes a acordos de preço fixo. Por exemplo, os valores unitários são preestabelecidos pelo comprador e pelo fornecedor, quando ambas as partes concordam com os valores de serviços profissionais para a categoria de "engenheiros sêniores".

115.       Controlar a qualidade / Control Quality. O processo de monitoramento e registro dos resultados da execução das atividades de qualidade para avaliar o desempenho e recomendar as mudanças necessárias.

116.       Controlar as aquisições / Control Procurements. O processo de gerenciamento das relações de aquisições, monitoramento do desempenho do contrato e realização de mudanças e correções conforme necessário.

117.       Controlar as comunicações / Control Communications. O processo de monitorar e controlar a comunicação no decorrer de todo o ciclo de vida do projeto para garantir que as necessidades de informação das partes interessadas no projeto sejam atendidas.

118.       Controlar o cronograma / Control Schedule. O processo de monitoramento do andamento das atividades do projeto para atualização no seu Progresso e gerenciamento das mudanças feitas na linha de base do cronograma para realizar o planejado.

119.       Controlar o engajamento das partes interessadas / Control Stakeholder Engagement. O processo de monitorar os relacionamentos das partes interessadas no projeto em geral, e ajustar as estratégias e planos para o engajamento das mesmas.

120.       Controlar o escopo / Control Scope. O processo de monitoramento do andamento do escopo do projeto e do produto e gerenciamento das mudanças feitas na linha de base do escopo.

121.       Controlar os custos / Control Costs. O processo de monitoramento do andamento do projeto para atualização no seu orçamento e gerenciamento das mudanças feitas na linha de base de custos.

122.       Controlar os riscos / Control Risks. O processo de implementação de planos de respostas aos riscos, acompanhamento dos riscos identificados, monitoramentos dos riscos residuais, identificação de novos riscos e avaliação da eficácia do processo de gerenciamento de riscos durante todo o projeto.

123.       Controle / Control. Comparação entre o desempenho real e o planejado, análise das variações, avaliação das tendências para efetuar melhorias no processo, avaliação das alternativas possíveis e recomendação das ações corretivas adequadas, conforme necessário.

124.       Controle de mudanças / Change Control. Processo pelo qual as modificações em documentos, entregas, ou linhas de base associadas ao projeto são identificadas, documentadas, aprovadas, ou rejeitadas.

125.       Convergência de caminhos / Path Convergence. Um relacionamento em que uma atividade do cronograma tem mais de uma predecessora.

126.       Convite para licitação (IFB) / Invitation for Bid (IFB). Geralmente, este termo equivale a solicitação de proposta. No entanto, em algumas áreas de aplicação, ele pole ter um significado mais restrito ou mais específico.

127.       Criar a EAP / Create WBS. O processo de subdivisão das entregas e do trabalho do projeto em componentes menores e de gerenciamento mais fácil.

128.       Critérios / Criteria. Normas, regras ou testes pelos quais uma opinião ou decisão pode basear-se, ou pelos quais um produto, serviço, resultado ou processo pode ser avaliado.

129.       Critérios de aceitação / Acceptance Criteria. Um conjunto de condições a serem satisfeitas antes das entregas serem aceitas.

130.       Critérios para seleção de fontes / Source Selection Criteria. Um conjunto de atributos desejados pelo comprador que devem ser obrigatoriamente atendidos ou excedidos pelo vendedor para que ele possa obter um contrato.

131.       Cronograma / Schedule. Veja cronograma do projeto e também modelo de cronograma.

132.       Cronograma de marcos / Milestone Schedule. Um cronograma sumarizado que identifica os principais marcos do cronograma. Veja também cronograma mestre.

133.       Cronograma do projeto / Project Schedule. Um resultado de um modelo de cronograma que demonstra a conexão de atividades com suas datas, durações, marcos e recursos planejados.

134.       Cronograma mestre / Master Schedule. Um cronograma sumarizado do projeto que identifica as principais entregas e componentes da estrutura analítica do projeto e os principais marcos do cronograma. Veja também cronograma de marcos.

135.       Custo da qualidade (CDQ) / Cost of Quality (COQ). Um método de determinação dos custos incorridos para garantir a qualidade. Os custos de prevenção e de avaliação (custo de conformidade) incluem custos de planejamento da qualidade, controle da qualidade (CQ) e garantia da qualidade para assegurar a conformidade com os requisitos (ou seja, treinamento, sistemas de CQ, etc.). Os custos de falhas (custo de não conformidade) incluem custos para refazer produtos, componentes ou processos que não estão em conformidade, custos de trabalho referentes a garantia, de desperdício e de perda de reputação.

136.       Custo real (CR) / Actual Cost (AC). O custo realizado incorrido no trabalho executado de uma atividade, durante um período específico.

137.       Dados de desempenho do trabalho / Work Performance Data. As observações e medições em estado bruto, identificadas durante a execução das atividades de realização dos trabalhos do projeto.

138.       Dados do cronograma / Schedule Data. A coleção de informações usadas para descrever e controlar o cronograma.

139.       Data de início / Start Date. Um momento associado ao início de uma atividade do cronograma. Geralmente usada com uma das seguintes qualificações: real, planejada, estimada, agendada, mais cedo, mais tarde, alvo, linha de base ou atual.

140.       Data de início mais cedo (IMC) / Early Start Date (ES). No método do caminho crítico, o momento mais cedo possível no qual as partes incompletas de uma atividade do cronograma (ou projeto) podem ser iniciadas, com base na lógica de rede do cronograma, na data dos dados e nas restrições do cronograma.

141.       Data de início mais tarde (IMT) / Late Start Date (LS). No método do caminho crítico, o momento mais tarde possível no qual as partes incompletas de uma atividade do cronograma (ou projeto) podem ser iniciadas, com base na lógica de rede do cronograma, na data de término do projeto e eventuais restrições do cronograma.

142.       Data de término / Finish Date. Um momento associado ao término de uma atividade do cronograma. Geralmente usada com uma das seguintes qualificações: real, planejada, estimada, agendada, mais cedo, mais tarde, alvo, linha de base ou atual.

143.       Data de término mais cedo (TMC) / Early Finish Date (EF). No método do caminho crítico, o momento mais cedo possível no qual as partes incompletas de uma atividade do cronograma (ou projeto) podem ser terminadas, com base na lógica de rede do cronograma, na data dos dados e nas restrições do cronograma.

144.       Data de término mais tarde (TMT) / Late Finish Date (LF). No método do caminho crítico, o momento mais tarde possível no qual as partes incompletas de uma atividade do cronograma (ou projeto) podem ser terminadas, com base na lógica de rede do cronograma, na data de término do projeto e eventuais restrições do cronograma.

145.       Data dos dados (DD) / Data Date. O momento em que o status do projeto é registrado.

146.       Data imposta / Imposed Date. Uma data fixa imposta em uma atividade do cronograma ou marco do cronograma, geralmente na forma de uma data do tipo "não começar antes de" e "não terminar após".

147.       Decisões de fazer ou comprar / Make-or-Buy Decisions. Decisões tomadas com relação a compra externa ou a manufatura interna de um produto.

148.       Decomposição / Decomposition. Técnica usada para dividir e subdividir o escopo do projeto e suas entregas em partes menores e mais fáceis de gerenciar.

149.       Defeito / Defect. Uma imperfeição ou deficiência em um componente do projeto na qual esse componente não atende aos seus requisitos ou especificações e precisa ser reparado ou substituído.

150.       Definir as atividades / Define Activities. O processo de identificação e documentação das ações específicas a serem realizadas para produzir as entregas do projeto.

151.       Definir o escopo / Define Scope. O processo de desenvolvimento de uma descrição detalhada do projeto e do produto.

152.       Dependência / Dependency. Veja relacionamento lógico.

153.       Dependência arbitrada / Discretionary Dependency. Um relacionamento estabelecido com base no conhecimento das melhores práticas no escopo de uma área de aplicação ou aspecto do projeto, onde se deseja que haja uma sequência específica.

154.       Dependência externa / External Dependency. Um relacionamento entre atividades que são do projeto e atividades que não são do projeto.

155.       Dependência obrigatória / Mandatory Dependency. Um relacionamento contratualmente exigido ou inerente à natureza do trabalho.

156.             Descrição do escopo do produto / Product Scope Description. A descrição documentada do escopo do produto.

157.       Desdobramento da função qualidade (QFD) / Quality Function Deployment (QFD). Uma técnica de facilitação de oficinas que ajuda a determinar as características críticas para o desenvolvimento de um produto novo.

158.       Desenvolver a equipe do projeto / Develop Project Team. O processo de melhoria de competências, da interação da equipe e do ambiente global da equipe para aprimorar o desempenho do projeto.

159.       Desenvolver o cronograma / Develop Schedule. O processo de análise de sequências das atividades, suas durações, recursos necessários e restrições do cronograma visando criar o cronograma do projeto.

160.       Desenvolver o plano de gerenciamento do projeto / Develop Project Management Plan. O processo de definir, preparar e coordenar todos os planos auxiliares e integrá-los a um plano de gerenciamento do projeto abrangente.

161.       Desenvolver o termo de abertura do projeto / Develop Project Charter. O processo de desenvolver um documento que formalmente autoriza a existência de um projeto e dê ao gerente do projeto a autoridade necessária para aplicar recursos organizacionais às atividades do projeto.

162.       Determinação de dependência / Dependency Determination. Uma técnica usada para identificar o tipo de dependência que é usada para criar os relacionamentos lógicos entre as atividades predecessoras e sucessoras.

163.       Determinar o orçamento / Determine Budget. O processo de agregação dos custos estimados de atividades individuais ou pacotes de trabalho para estabelecer uma linha de base dos custos autorizada.

164.       Diagrama de afinidades / Affinity Diagram. Técnica de criatividade em grupo que permite que grandes volumes de ideias sejam classificadas em categorias, para revisão e análise.

165.       Diagrama de arvore / Tree Diagram. Um diagrama sistemático de uma decomposição hierárquica usado para visualizar um conjunto sistemático de regras como relacionamentos pai-filho.

166.       Diagrama de causa e efeito / Cause and Effect Diagram. Técnica de decomposição que ajuda a investigar um efeito indesejável até a sua causa-raiz.

167.       Diagrama de dispersão / Scatter Diagram. Um gráfico de correlação que usa uma linha de regressão para explicar ou para predizer como a mudança em uma variável independente mudara uma variável dependente.

168.       Diagrama de espinha de peixe / Fishbone diagram. Ver Diagrama de Causa e Efeito.

169.       Diagrama de Pareto / Pareto Diagram. Um histograma, organizado por frequência de ocorrência, que mostra quantos resultados foram gerados para cada causa identificada.

170.       Diagrama de rede do cronograma com escala de tempo / Time-Scaled Schedule Network Diagram. Qualquer diagrama de rede do cronograma do projeto desenhado de forma que o posicionamento e o comprimento da atividade do cronograma representem a sua duração. Trata-se basicamente de um gráfico de barras que inclui a lógica de rede do cronograma.

171.       Diagrama de rede do cronograma do projeto / Project Schedule Network Diagram. Qualquer demonstração esquemática dos relacionamentos lógicos entre as atividades do cronograma do projeto.

172.       Diagrama de tornado / Tornado Diagram. Um tipo especial de gráfico de barras usado na análise de sensibilidade para comparar a importância relativa das variáveis.

173.       Diagramas de contexto / Context Diagrams. Uma descrição visual do escopo do produto mostrando um sistema de negócios (processo, equipamentos, sistema computacional, etc.), e como as pessoas e os outros sistemas (agentes) interagem com ele.

174.       Diagramas de influencia / Influence Diagram. Uma representação gráfica de situações que mostram influências causais, ordem dos eventos por tempo e outras relações entre variáveis e resultados.

175.       Diagramas de inter-relacionamentos / Interrelationship Digraphs. Os diagramas de inter-relacionamento são uma ferramenta de planejamento do gerenciamento da qualidade que fornecem um processo criativo de solução de problemas em cenários moderadamente complexos que apresentam relacionamentos lógicos entrelaçados.

176.       Diagramas de rede das atividades / Activity Network Diagrams. Veja diagrama de rede do cronograma do projeto.

177.       Diagramas matriciais / Matrix Diagrams. Uma ferramenta de gerenciamento e controle de qualidade usada para executar a análise dos dados dentro da estrutura organizacional criada em matriz. O diagrama em matriz procura mostrar a fora dos relacionamentos entre fatores, causas e objetivos que existem entre as linhas e colunas que formam a matriz.

178.       Dicionário da EAP / WBS Dictionary. Um documento que fornece informações detalhadas sobre entregas, atividades e agendamento de cada componente da estrutura analítica do projeto.

179.       Diretriz / Guideline. Uma recomendação ou conselho oficial que indica as politicas, padrões, ou procedimentos de como algo deve ser executado.

180.       Ditadura / Dictatorship. Uma técnica de tomada de decisões em grupo em que um indivíduo toma a decisão pelo grupo.

181.       Divergência de caminhos / Path Divergence. Um relacionamento em que uma atividade do cronograma tem mais de uma sucessora.

182.       Documentação dos requisitos / Requirements Documentation. Uma descrição de como os requisitos individuais atendem as necessidades de negócios do projeto.

183.       Documentos de aquisição / Procurement Documents. Os documentos utilizados nas atividades de licitação e proposta, que incluem Convite para licitação, Convite para negociações, Solicitação de informações, Solicitação de cotação, Solicitação de proposta do comprador e as respostas do fornecedor.

184.       Duração (DU ou DUR) / Duration (DU or DUR). Número total de períodos de trabalho (sem incluir feriados ou outros períodos de descanso) necessários para terminar uma atividade do cronograma ou um componente da estrutura analítica do projeto. Normalmente expressa em dias ou semanas de trabalho. As vezes, é incorretamente equiparada ao tempo decorrido. Compare com esforço.

185.       Duração da atividade / Activity Duration. O tempo em unidades de calendário entre o início e o término de uma atividade do cronograma. Veja também duração.

186.       Duração mais provável / Most Likely Duration. Uma estimativa da duração mais provável da atividade que leva em consideração todas as variáveis conhecidas que poderiam afetar o desempenho.

187.       Duração otimista / Optimistic Duration. Uma estimativa da duração mais curta da atividade que leva em consideração todas as variáveis conhecidas que poderiam afetar o desempenho.

188.       Duração pessimista / Pessimistic Duration. Estimativa da duração mais longa da atividade que leva em consideração todas as variáveis conhecidas que poderiam afetar os eu desempenho.

189.       Duração real / Actual Duration. O tempo em unidades de calendário entre a data de início real da atividade do cronograma e a data dos dados do cronograma do projeto, se a atividade do cronograma estiver em andamento, ou a data de término real, se a atividade do cronograma estiver terminada.

190.       Elaboração progressiva / Progressive Elaboration. O processo repetitivo de aumentar o nível de detalhes do plano de gerenciamento do projeto a proporção que maiores volumes de informações e estimativas mais precisas são disponibilizados.

191.       Encerrar as aquisições / Close Procurements. O processo de finalizar cada uma das aquisições do projeto.

192.       Encerrar o projeto ou fase / Close Project or Phase. O processo de finalização de todas as atividades de todos os grupos de processos de gerenciamento do projeto para terminar formalmente o projeto ou a fase.

193.       Engenharia de valor (EV) / Value Engineering. Uma abordagem usada para otimizar os custos do ciclo de vida do projeto, economizar tempo, aumentar os lucros, melhorar a qualidade, ampliar a participação no mercado, solucionar problemas e/ou utilizar recursos de forma mais efetiva.

194.       Entrada / Input. Qualquer item, interno ou externo ao projeto, que é exigido por um processo antes que esse processo continue. Pode ser uma saída de um processo predecessor.

195.       Entrega / Deliverable. Qualquer produto, resultado ou capacidade para realizar um serviço único e verificável e cuja execução a exigida para concluir um processo, uma fase ou um projeto.

196.       Entregas aceitas / Accepted Deliverables. Produtos, resultados ou recursos produzidos por um projeto e validados pelo cliente ou patrocinadores do projeto como tendo satisfeito seus critérios de aceitação.

197.       Entregas verificadas / Verified Deliverables. Entregas de projeto concluídas que foram verificadas e confirmadas quanto a sua precisão pelo processo Controlar a qualidade.

198.       Entrevistas / Interviews. Uma abordagem formal ou informal para obter informações das partes interessadas falando com as mesmas diretamente.

199.       Equipe de gerenciamento do projeto / Project Management Team. Os membros da equipe do projeto que estão diretamente envolvidos nas atividades de gerenciamento de projetos. Em alguns projetos menores, a equipe de gerenciamento do projeto pode incluir praticamente todos os membros da equipe do projeto.

200.       Equipe do projeto / Project Team. Um grupo de indivíduos que apoia o gerente de projeto na execução do trabalho do projeto para alcançar seus objetivos.

201.       Escopo / Scope. A soma dos produtos, serviços e resultados a serem fornecidos na forma de projeto. Veja também escopo do projeto e escopo do produto.

202.       Escopo do produto / Product Scope. As características e funções que descrevem um produto, serviço ou resultado.

203.       Escopo do projeto / Project Scope. O trabalho que deve ser realizado para entregar um produto, serviço ou resultado com as características e funções especificadas.

204.       Escritório de gerenciamento de projetos (EGP) / Project Management Office (PMO). Uma estrutura organizacional que padroniza os processos de governança relacionados com o projeto, e facilita o compartilhamento de recursos, metodologias, ferramentas, e técnicas. Também conhecido como Escritório de Projetos (EP).

205.       Esforço / Effort. O número de unidades de mão de obra exigidas para finalizar uma atividade do cronograma ou um componente da estrutura analítica do projeto, frequentemente expresso em horas, dias, ou semanas.

206.       Esforço distinto / Discrete Effort. Uma atividade que pode ser planejada e medida e que produz um resultado específico. [Obs: O esforço distinto e um dos três tipos de atividades do gerenciamento do valor agregado (GVA) usado para medir o desempenho do trabalho.]

207.       Esforço distribuído / Apportioned Effort. Uma atividade em que o esforço aplicado ao trabalho do projeto é distribuído proporcionalmente por certos esforços distintos e não divisíveis em esforços de trabalho distintos. [Obs: O esforço distribuído é um dos três tipos de atividades de gerenciamento de valor agregado (GVA) usados para medir o desempenho do trabalho.]

208.       Especificação / Specification. Um documento que específica, de maneira completa, precisa e verificável, os requisitos, projeto, comportamento ou outras características de um sistema, componente, produto, resultado ou serviço e os procedimentos para determinar se essas clausulas foram satisfeitas. Exemplos: especificação de requisitos, especificação de projeto, especificação de produto e especificação de testes.

209.       Especificação do escopo do projeto / Project Scope Statement. A descrição do escopo do projeto, das principais entregas, premissas, e restrições.

210.       Especificação do trabalho (ET) / Statement of Work (SOW). Uma descrição narrativa dos produtos, serviços ou resultados a serem fornecidos pelo projeto.

211.       Especificação do trabalho das aquisições / Procurement Statement of Work. A especificação do trabalho descreve o item de aquisição em detalhes suficientes para permitir que os fornecedores em potencial determinem se são capazes de fornecer os produtos, serviços ou resultados.

212.       Especificação do trabalho do projeto / Project Statement of Work. Ver Especificação do trabalho.

213.       Espera / Lag. A quantidade de tempo que uma atividade sucessora deve ser atrasada em relação a uma atividade predecessora.

214.       Estabilização de recursos / Resource Smoothing. Uma técnica que ajusta as atividades de um modelo de cronograma de tal maneira que os requisitos de recursos do projeto não excedam certos limites pré-definidos de recursos.

215.       Estimar as durações das atividades / Estimate Activity Durations. O processo de estimativa do número de períodos de trabalho que serão necessários para terminar atividades específicas com os recursos estimados.

216.       Estimar os custos / Estimate Costs. O processo de desenvolvimento de uma estimativa de custos dos recursos monetários necessários para terminar as atividades do projeto.

217.       Estimar os recursos das atividades / Estimate Activity Resources. O processo de estimativa dos tipos e quantidades de material, pessoas, equipamentos ou suprimentos que serão necessários para realizar cada atividade.

218.       Estimativa / Estimate. Uma avaliação quantitativa da quantidade ou resultado provável. Geralmente aplicada a custos, recursos, esforço e durações do projeto e é normalmente precedida de um modificador (ou seja, preliminar, conceitual, de viabilidade, de ordem de grandeza, definitiva). Deve sempre incluir uma indicação do seu nível de exatidão (por exemplo, ± x %). Veja também orçamento e custo.

219.       Estimativa "bottom-up" I Bottom-Up Estimating. Método de estimativa da duração ou custo do projeto pela agregação das estimativas dos componentes de nível mais baixo da estrutura analítica do projeto (EAP).

220.       Estimativa análoga / Analogous Estimating. Técnica de estimativa de duração ou custo de uma atividade ou projeto usando dados históricos de uma atividade ou projeto semelhante.

221.       Estimativa no término (ENT) / Estimate at Completion (EAC). O custo total esperado de finalização de todo o trabalho, expresso como a soma do custo real atual e a estimativa de finalização.

222.       Estimativa para terminar (EPT) / Estimate to Complete (ETC). O custo esperado para finalizar o trabalho restante do projeto.

223.       Estimativa paramétrica / Parametric Estimating. Uma técnica de estimativa em que um algoritmo é usado para calcular o custo e duração com base em dados históricos e parâmetros do projeto.

224.       Estimativas de duração das atividades / Activity Duration Estimates. Uma validação quantitativa da provável quantidade de tempo ou resultado para a duração de uma atividade.

225.       Estimativas de três pontos / Three-Point Estimate. Uma técnica de estimativa de custos ou duração que aplica uma media ponderada das estimativas otimista, pessimista e mais provável quando existe incerteza em relação as estimativas da atividade em questão.

226.       Estimativas dos custos das atividades / Activity Cost Estimates. O custo projetado da atividade do cronograma que inclui o custo de todos os recursos exigidos para a execução e finalização da atividade, incluindo todos os tipos e componentes dos custos.

227.       Estimativas independentes / Independent Estimates. Processo que usa um terceiro para obter e analisar informações para suportar a previsão dos custos, do cronograma, e de outros itens.

228.       Estratégias de respostas de contingência / Contingent Response Strategies. Respostas fornecidas que podem ser usadas em caso de ocorrência de um evento desencadeador específico.

229.       Estrutura analítica do projeto (EAP) / Work Breakdown Structure (WBS). A decomposição hierárquica do escopo total do trabalho a ser executado pela equipe do projeto a fim de alcançar os objetivos do projeto e criar as entregas exigidas.

230.       Estrutura analítica dos recursos / Resource Breakdown Structure. Uma representação hierárquica dos recursos, por categoria e tipo.

231.       Estrutura analítica dos riscos (EAR) / Risk Breakdown Structure (RBS). Uma representação hierárquica dos riscos, de acordo com suas categorias de riscos.

232.       Estrutura analítica organizacional (EAO) / Organizational Breakdown Structure (OBS). Uma representação hierárquica da organização do projeto que ilustra o relacionamento entre as atividades do projeto e as unidades organizacionais que executarão tais atividades.

233.       Exatidão / Accuracy. De acordo com o sistema de gerenciamento de qualidade, exatidão é uma aferição do grau de correção.

234.       Executar / Execute. Orientar, gerenciar, realizar e ser bem sucedido no trabalho do projeto, fornecer as entregas e informações sobre o desempenho do trabalho.

235.       Fase / Phase. Veja fase do projeto.

236.       Fase do projeto / Project Phase. Um conjunto de atividades de projeto relacionadas de maneira lógica que culmina na conclusão de uma ou mais entregas.

237.       Fatores ambientais da empresa / Enterprise Environmental Factors. As condições que não estão sob o controle imediato da equipe e que influenciam, restringem ou direcionam o projeto, programa, ou portfólio.

238.       Ferramenta / Tool. Alguma coisa tangível, como um modelo ou um programa de software, usada na execução de uma atividade para produzir um produto ou resultado.

239.       Ferramenta de cronograma / Scheduling Tool. Uma ferramenta que provê nomes, definições, relacionamentos estruturais, e formatos de componentes de cronograma que apoiam a aplicação de um método de cronograma.

240.       Ferramentas adicionais de planejamento da qualidade / Additional Quality Planning Tools. Um conjunto de ferramentas usadas para definir os requisitos de qualidade e planejar atividades eficazes do gerenciamento de qualidade. Elas incluem, entre outras: brainstorming, análise de campo de força, técnicas de grupo nominal e ferramentas de gerenciamento e controle da qualidade.

241.       Ferramentas de controle de mudanças / Change Control Tools. Ferramentas manuais ou automatizadas para ajudar no gerenciamento das mudanças e/ou configurações. No mínimo, as ferramentas devem apoiar as atividades do CCM.

242.       Ferramentas de gerenciamento e controle da qualidade / Quality Management and Control Tools. São um tipo de ferramentas de planejamento de qualidade usadas para conectar e sequenciar as atividades identificadas.

243.       Fluxograma / Flowchart. A representação em formato de diagrama das entradas, ações do processo e saídas de um ou mais processos em um sistema.

244.       Folga / Float. Também chamada de "slack". Veja folga total e folga livre.

245.       Folga livre (FL) / Free Float. O tempo permitido para atraso de uma atividade do cronograma sem atrasar a data de início mais cedo de qualquer uma das atividades do cronograma imediatamente subsequentes.

246.       Folga total / Total Float. O atraso total permitido para a data de início mais cedo de uma atividade do cronograma sem atrasar a data de término do projeto ou violar uma restrição do cronograma.

247.       Folhas de verificação / Checksheets. Uma folha de resultados que pole ser usada como uma lista de verificação durante a coleta de dados.

248.       Fornecedor / Seller. Um provedor ou fornecedor de produtos, serviços ou resultados para uma organização.

249.       Fornecedores selecionados / Selected Sellers. Os fornecedores que foram selecionados para fornecer um conjunto contratado de serviços ou produtos.

250.       Geração de alternativas / Alternatives Generation. Técnica usada para desenvolver o maior número possível de opções a fim de identificar diversas abordagens de execução e desenvolvimento do trabalho do projeto.

251.       Gerenciamento da integração do projeto / Project Integration Management. O Gerenciamento da integração do projeto inclui os processos e as atividades necessárias para identificar, definir, combinar, unificar e coordenar os vários processos e atividades de gerenciamento do projeto dentro dos grupos de processos de gerenciamento do projeto.

252.       Gerenciamento da qualidade do projeto / Project Quality Management. O Gerenciamento da qualidade do projeto inclui os processos e as atividades da organização executora que determinam as politicas de qualidade, os objetivos e as responsabilidades, de modo que o projeto satisfaça as necessidades para as quais foi empreendido.

253.       Gerenciamento das aquisições do projeto / Project Procurement Management. O gerenciamento das aquisições do projeto inclui os processos necessários para comprar ou adquirir produtos, serviços ou resultados externos a equipe do projeto.

254.       Gerenciamento das comunicações do projeto / Project Communications Management. O gerenciamento das comunicações do projeto inclui os processos necessários para assegurar que as informações do projeto sejam planejadas, geradas, coletadas, distribuídas, armazenadas, recuperadas, gerenciadas, controladas, monitoradas e organizadas de maneira oportuna e apropriada.

255.       Gerenciamento das partes interessadas do projeto / Project Stakeholder Management. O Gerenciamento das partes interessadas do projeto inclui os processos exigidos para identificar todas as pessoas, grupos ou organizações que podem impactar ou serem impactados pelo projeto, analisar as expectativas das partes interessadas e seu impacto no projeto, e desenvolver estratégias de gerenciamento apropriadas para o engajamento eficaz das partes interessadas nas decisões e na execução do projeto.

256.       Gerenciamento de conflitos / Conflict Management. Lidar com, controlar e orientar as ações em uma situação conflitante para chegar a uma resolução.

257.       Gerenciamento de portfolio / Portfolio Management. O gerenciamento centralizado de um ou mais portfolios para alcançar os objetivos estratégicos.

258.       Gerenciamento de programas / Program Management. A aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas e técnicas em um programa para atender aos requisitos do mesmo e obter os benefícios e controle não disponíveis ao gerenciar projetos individualmente.

259.       Gerenciamento de projetos / Project Management. A aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas e técnicas as atividades do projeto a fim de atender aos seus requisitos.

260.       Gerenciamento do escopo do projeto / Project Scope Management O Gerenciamento do escopo do projeto inclui os processos necessários para assegurar que o projeto inclua todo o trabalho necessário, e apenas o necessário, para que o projeto termine com êxito.

261.       Gerenciamento do tempo do projeto / Project Time Management. O Gerenciamento do tempo do projeto inclui os processos necessários para gerenciar o término pontual do projeto.

262.       Gerenciamento do valor agregado / Earned Value Management. Uma metodologia que combine escopo, cronograma, e medições de recursos para avaliar o desempenho e progresso do projeto.

263.       Gerenciamento dos custos do projeto / Project Cost Management. O gerenciamento dos custos do projeto inclui os processos envolvidos em planejamento, estimativas, orçamentos, financiamentos, gerenciamento e controle dos custos, de modo que o projeto possa ser terminado dentro do orçamento aprovado.

264.       Gerenciamento dos recursos humanos do projeto / Project Human Resource Management. O gerenciamento dos recursos humanos do projeto inclui os processos que organizam, gerenciam e lideram a equipe do projeto.

265.       Gerenciamento dos riscos do projeto / Project Risk Management. O gerenciamento dos riscos do projeto inclui os processos de planejamento, identificação, análise, planejamento de respostas, e controle de riscos de um projeto.

266.       Gerenciar a equipe do projeto / Manage Project Team. O processo de acompanhar o desempenho de membros da equipe, fornecer feedback, resolver problemas e gerenciar mudanças para otimizar o desempenho do projeto.

267.       Gerenciar as comunicações / Manage Communications. O processo de criar, coletar, distribuir, armazenar, recuperar, e de disposição final das informações do projeto de acordo com o plano de gerenciamento das comunicações.

268.       Gerenciar o engajamento das partes interessadas / Manage Stakeholder Engagement. O processo de se comunicar e trabalhar com as partes interessadas para atender as suas necessidades/expectativas, abordar as questões a proporção que elas ocorrem, e promover o engajamento apropriado das partes interessadas nas atividades do projeto, no decorrer de todo o ciclo de vida do mesmo.

269.       Gerente do projeto (GP) / Project Manager (PM). A pessoa alocada pela organização executora para liderar a equipe e que a responsável por alcançar os objetivos do projeto.

270.       Gerente funcional / Functional Manager. Alguém com autoridade de gerenciamento sobre uma unidade organizacional dentro de uma organização funcional. O gerente de qualquer grupo que na pratica fabrique um produto ou realize um serviço. As vezes chamado de gerente de linha.

271.       Governança do projeto / Project Governance. O alinhamento dos objetivos do projeto com a estratégia da organização principal pelo patrocinador e a equipe de projeto. A governança do projeto a definida por, e deve obrigatoriamente se encaixar no contexto mais amplo do programa ou organização que o patrocina, mas separada da governança organizacional.

272.       Gráfico de barras / Bar Chart. Uma representação gráfica de informações relacionadas ao cronograma. Em um gráfico de barras típico, as atividades do cronograma ou os componentes da estrutura analítica do projeto são listados verticalmente do lado esquerdo do gráfico, as dates são mostradas horizontalmente na parte superior e as durações das atividades são exibidas como barras horizontais posicionadas de acordo com as dates. Ver também o gráfico de Gantt.

273.       Gráfico de controle / Control Chart. Uma representação gráfica dos dados do processo ao longo do tempo e em relação aos limites de controle estabelecidos e que possui uma linha central que ajuda a detectar uma tendência dos valores traçados na direção de um dos limites de controle.

274.       Gráfico de Gantt / Gantt Chart. Um gráfico de barras com informações do cronograma em que as atividades são listadas no eixo vertical, as datas são mostradas no eixo horizontal, e as durações das atividades aparecem como barras horizontais posicionadas de acordo com as dates de início e término.

275.       Gráfico do programa do processo de decisão (GPPD) / Process Decision Program Charts (PDPC). O GPPD e usado para se entender uma meta em relação as etapas envolvidas em alcançá-las.

276.       Grau / Grade. Categoria ou classificação utilizada para diferenciar itens que possuem a mesma utilidade funcional (por exemplo, "martelo"), mas que não tem os mesmos requisitos de qualidade (por exemplo, podem ser necessários tipos diferentes de martelos para resistir a diferentes graus de force).

277.       Grupo de processos de encerramento / Closing Process Group. Os processos executados para finalizar todas as atividades de todos os grupos de processos, visando encerrar formalmente o projeto ou a fase.

278.       Grupo de processos de execução / Executing Process Group. Os processos realizados para executar o trabalho definido no plano de gerenciamento do projeto para satisfazer as especificações do mesmo.

279.       Grupo de processos de gerenciamento de projetos / Project Management Process Group. Um agrupamento lógico de entradas, ferramentas, técnicas e saídas de gerenciamento de projetos. Os grupos de processos de gerenciamento de projetos incluem processos de iniciação, processos de planejamento, processos de execução, processos de monitoramento e controle e processos de encerramento. Os grupos de processos de gerenciamento de projetos não são fases do projeto.

280.       Grupo de processos de iniciação / Initiating Process Group. Os processos realizados para definir um novo projeto ou uma nova fase de um projeto existente, através de obtenção de autorização para iniciar o projeto ou fase.

281.       Grupo de processos de monitoramento e controle / Monitoring and Controlling Process Group. Os processos necessários para acompanhar, analisar e regular o progresso e o desempenho do projeto, identificar todas as áreas nas quais serão necessárias mudanças no plano e iniciar as mudanças correspondentes;

282.       Grupo de processos de planejamento / Planning Process Group. Os processos necessários para definir o escopo do projeto, refinar os objetivos e desenvolver o curso de ação necessário para alcançar os objetivos para os quais o projeto foi criado;

283.       Grupos de discussão / Focus Groups. Uma técnica de elicitação que reúne as partes interessadas pré-qualificadas e especialistas no assunto para entender suas expectativas e atitudes sobre um produto, serviço ou resultado proposto.

284.       Habilidades de gerenciamento / Management Skills. A habilidade de planejar, organizar, direcionar, e controlar indivíduos ou grupos de pessoas para atingir metas específicas.

285.       Habilidades interpessoais / Interpersonal Skills. A habilidade de formar e manter relacionamentos com outras pessoas.

286.       Hard logic I Hard Logic. Ver dependência obrigatória.

287.       Histograma / Histogram. Uma forma especial de gráfico de barras usado para descrever a tendência central, o grau de dispersão, e o formato de uma distribuição estatística.

288.       Histograma de recursos / Resource Histogram. Um gráfico de barras que representa o tempo em que um recurso esta agendado para trabalhar por uma serie de períodos de tempo. A disponibilidade do recurso pode ser representada graficamente como uma linha para fins de comparação. Barras contrastantes podem demonstrar quantidades reais de recursos usados conforme o projeto avança no tempo.

289.       Identificador da atividade / Activity Identifier. Uma identificação numérica ou de texto, curta e exclusiva, atribuída a cada atividade do cronograma para diferencia-la de outras atividades. Normalmente única dentro de um diagrama de rede do cronograma do projeto.

290.       Identificar as partes interessadas / Identify Stakeholders. O processo de identificar pessoas, grupos ou organizações que podem impactar ou serem impactados por uma decisão, atividade, ou resultado do projeto, e analisar e documentar informações relevantes relativas aos seus interesses, envolvimento, interdependências, influencia, e o impacto potencial no sucesso do projeto.

291.       Identificar os riscos / Identify Risks. O processo de determinação dos riscos que podem afetar o projeto e de documentação de suas características.

292.       Índice de desempenho de custos (IDC) / Cost Performance Index (CPI). Uma medida da eficiência de custos dos recursos orçados expressa como a relação valor agregado/custo real.

293.       Índice de desempenho de prazos (IDP) / Schedule Performance Index (SPI). Uma medida de eficiência do cronograma expressa como a relação do valor agregado/valor planejado.

294.       Índice de desempenho para término (IDPT) / To-Complete Performance Index (TCPI). Uma métrica de desempenho de custos que deve ser obrigatoriamente alcançado com os recursos restantes a fim de cumprir uma meta especificada de gerenciamento, expressa como a razão do custo para terminar o trabalho restante em relação ao orçamento restante.

295.       Informações históricas / Historical Information. Documentos e dados sobre projetos anteriores que incluem arquivos de projetos, registros, correspondências, contratos encerrados e projetos encerrados.

296.       Informações sobre o desempenho do trabalho / Work Performance Information. Os dados de desempenho coletados de vários processos de controle, analisados no contexto e integrados com base nos relacionamentos entre as áreas.

297.       Iniciação do projeto / Project Initiation. Lançamento de um processo que pode resultar na autorização de um novo projeto.

298.       Início para início (II) / Start-to-Start (SS). Um relacionamento lógico em que uma atividade sucessora não pode ser iniciada ate que uma atividade predecessora tenha sido iniciada.

299.       Início para término (IT) / Start-to-Finish (SF). Um relacionamento lógico em que uma atividade sucessora não pode ser terminada ate que uma atividade predecessora tenha sido iniciada.

300.       Inspeção / Inspection. Exame ou medida para verificar se uma atividade, componente, produto, resultado ou serviço esta de acordo com os requisitos especificados.

301.       Inspeções e auditorias / Inspections and Audits. Processo para observar o desempenho do trabalho contratado ou de um produto prometido em relação aos requisitos acordados.

302.       Inteligência emocional / Emotional Intelligence. A capacidade de identificar, avaliar e gerenciar suas próprias emoções e as de outras pessoas, assim como as emoções coletivas de um grupo de pessoas.

303.       Lições aprendidas / Lessons Learned. O conhecimento adquirido durante um projeto que mostra como os eventos do projeto foram abordados ou devem ser abordados no futuro, com o objetivo de melhorar o desempenho futuro.

304.       Limite / Threshold. Um valor de custos, de tempo, de qualidade, técnico ou de recurso usado como parâmetro e que pode ser incluído nas especificações do produto. Ultrapassar o limite deve disparar alguma ação, como a geração de um relatório de exceções.

305.       Limites de controle / Control Limits. A área composta de três desvios padrão em ambos os lados da linha central, ou media, de uma distribuição normal de dados tragados em um gráfico de controle que reflete a variação esperada nos dados. Veja também limites de específicação

306.       Limites de especificação / Specification Limits. A área em ambos os lados da linha central, ou media, de dados tragados em um gráfico de controle que atende aos requisitos do cliente para um produto ou serviço. Essa área pode ser maior ou menor que a área definida pelos limites de controle. Veja também limites de controle.

307.       Limites de riscos / Risk Threshold. Medida do nível de incerteza ou nível de impacto em que uma parte interessada pode ter um interesse específico. A organização aceitara o risco abaixo daquele limite. A organização não tolerara o risco acima daquele limite de risco.

308.       Linha de base / Baseline. A versa() aprovada de um produto de trabalho que só pode ser alterada através de procedimentos formais de controle de mudança e é usada como uma base de comparação.

309.       Linha de base da medição do desempenho / Performance Measurement Baseline. Um plano aprovado para o trabalho do projeto, integrando escopo, tempo e custos, em relação ao qual a execução do projeto comparada e medida visando gerenciar o seu desempenho. A linha de base da medição do desempenho (PMB) inclui a reserva de contingencia, mas exclui a reserva de gerenciamento.

310.       Linha de base do cronograma / Schedule Baseline. A versa() aprovada de um modelo de cronograma que pode ser mudado somente mediante procedimentos de controle formais, e que é usado como uma base para a comparação com os resultados reais.

311.       Linha de base do escopo / Scope Baseline. A versa() aprovada de uma especificação de escopo e de uma estrutura analítica do projeto (EAP), e seu dicionário de EAP associado, que só pode ser mudada através de procedimentos de controle formais, e é usada como uma base de comparação.

312.       Linha de base dos custos / Cost Baseline. Versão aprovada do orçamento referencial do projeto, excluindo quaisquer reservas gerenciais, que só pode ser mudada através de procedimentos formais de controle de mudanças e usada como base para comparação com os resultados reais.

313.       Lista da equipe do projeto / Project Team Directory. Uma lista documentada dos membros da equipe do projeto, suas funções no projeto e informações de comunicação.

314.       Lista de atividades / Activity List. Uma tabela documentada das atividades do cronograma que mostra a descrição da atividade, o identificador da atividade e uma descrição suficientemente detalhada do escopo do trabalho para que os membros da equipe do projeto compreendam que trabalho devera ser realizado.

315.       Lista de marcos / Milestone List. Uma lista que identifica todos os marcos do projeto; ela normalmente indica se o marco a obrigatório ou opcional.

316.       Listas de verificação da qualidade / Quality Checklists. Uma ferramenta estruturada para verificar se um conjunto de etapas exigidas foi executado.

317.       Lógica de rede / Network Logic. O conjunto de dependências de atividades do cronograma que compõe um diagrama de rede do cronograma do projeto.

318.       Lógica preferencial / Preferential Logic. Ver dependência discricionária. !Mica preferida / Preferred Logic. Ver dependência discricionária. Maioria / Majority. Suporte de mais de 5O% dos membros do grupo.

319.       Mapas mentais / Idea/Mind Mapping. Técnica usada para consolidar as ideias criadas através de sessões individuais de brainstorming em um mapa único, a fim de refletir pontos em comum e diferenças de compreensão e gerar novas ideias.

320.       Marco / Milestone. Um ponto ou evento significativo de um projeto, programa, ou portfólio.

321.       Material / Material. O conjunto de objetos usados por uma organização em qualquer empreendimento, como equipamentos, dispositivos, ferramentas, máquinas, aparelhos e suprimentos.

322.       Matriz de priorização / Prioritization Matrices. Uma ferramenta de planejamento de gerenciamento da qualidade usada para identificar questões importantes e avaliar alternativas adequadas para definir um conjunto de prioridades de implementação.

323.       Matriz de probabilidade e impacto / Probability and Impact Matrix. Uma rede para o mapeamento de cada ocorrência de risco e o seu impacto nos objetivos do projeto.

324.       Matriz de rastreabilidade de requisitos / Requirements Traceability Matrix. Uma tabela que liga os requisitos dos produtos desde as suas origens ate as entregas que os satisfazem.

325.       Matriz de responsabilidades (MR) / Responsibility Assignment Matrix (RAM). Uma tabela que mostra os recursos do projeto alocados a cada pacote de trabalho.

326.       Maturidade organizacional em gerenciamento de projetos / Organizational Project Management Maturity. O nível de habilidade de uma organização de entregar os resultados estratégicos desejados de maneira previsível, controlável e confiável.

327.       Medições de controle da qualidade / Quality Control Measurements. Os resultados documentados das atividades de controle de qualidade.

328.       Membros da equipe / Team Members. Veja membros da equipe do projeto.

329.       Método da corrente crítica / Critical Chain Method. Um método de cronograma que permite que a equipe do projeto crie pulmões (reservas) ao longo de qualquer caminho do cronograma para levar em consideração eventuais recursos limitados e incertezas do projeto.

330.       Método da formula fixa / Fixed Formula Method. Um método de valor agregado que designa uma percentagem específica do valor do orçamento de um pacote de trabalho ao marco de início do pacote de trabalho, e contabiliza o restante do valor do orçamento quando o pacote de trabalho for concluído.

331.       Método de marcos ponderados / Weighted Milestone Method. Um método de valor agregado que divide um pacote de trabalho em segmentos mensuráveis, em que cada um termina com um marco observável, e em seguida designa um valor ponderado para o alcance de cada marco.

332.       Método do caminho crítico (CPM) / Critical Path Method (CPM). Um método usado para estimar a duração mínima do projeto e determinar o grau de flexibilidade nos caminhos lógicos da rede dentro do modelo do cronograma.

333.       Método do diagrama de precedência (MDP) / Precedence Diagramming Method (PDM). Uma técnica usada para construir um modelo de cronograma em que as atividades são representadas por nos e ligadas graficamente por um ou mais relacionamentos lógicos para mostrar a sequência em que as atividades devem ser executadas.

334.       Metodologia / Methodology. Um sistema de praticas, técnicas, procedimentos e regras usado pelas pessoas que trabalham em uma disciplina.

335.       Métodos de comunicação / Communication Methods. Um procedimento, uma técnica ou processo sistemático usado para transferir informações para as partes interessadas.

336.       Métricas da qualidade / Quality Metrics. A descrição de um atributo de projeto ou produto, e de como medi-lo.

337.       Mitigação de riscos / Risk Mitigation. Uma estratégia de resposta ao risco em que a equipe do projeto age para reduzir a probabilidade de ocorrência, ou impacto do risco.

338.       Modelo de cronograma / Schedule Model. Uma representação do plano para a execução das atividades do projeto incluindo durações, dependências, e outras informações de planejamento, usada para produzir um cronograma de projeto junto com outros artefatos do cronograma.

339.       Modelos / Empates. Um documento parcialmente completo em um formato predefinido, que fornece uma estrutura definida para coletar, organizar e apresentar informações e dados.

340.       Modelos de comunicações / Communication Models. Uma descrição, analogia ou diagrama esquemático usados para representar como o processo de comunicação será executado no projeto.

341.       Modelos de diagrama de rede de cronograma / Schedule Network Empates. Um conjunto de atividades e relacionamentos estabelecidos que podem ser usados repetidamente em uma área de aplicação específica ou em um aspecto do projeto onde se deseja uma sequência prescrita.

342.       Monitorar / Monitor. Coletar dados de desempenho do projeto referentes a um plano, produzir medições do desempenho e relatar e divulgar informações sobre o desempenho.

343.       Monitorar e controlar o trabalho do projeto / Monitor and Control Project Work. O processo de acompanhamento, análise e relato do progresso para atender aos objetivos de desempenho definidos no plano de gerenciamento do projeto.

344.       Mudança solicitada / Requested Change. Uma solicitação de mudança formalmente documentada submetida à aprovação para o processo de Realizar o controle integrado de mudanças.

345.       Mudanças do escopo / Scope Change. Qualquer mudança no escopo do projeto. Uma mudança do escopo quase sempre exige um ajuste nos custos ou no cronograma do projeto.

346.       Negociação / Negotiation. O processo e as atividades para a resolução de disputas através de consultas entre as partes envolvidas.

347.       Nível de esforço (NDE) / Level of Effort (LOE). Uma atividade que não produz produtos finais e é medida pela passagem do tempo. [Obs: O nível de esforço e um dos três tipos de atividades de gestão de valor agregado (GVA) usados para medir o desempenho do trabalho.]

348.       Nivelamento / Leveling. Veja nivelamento de recursos.

349.       Nivelamento de recursos / Resource Leveling. Uma técnica em que as Batas de início e término são ajustadas com base nas restrições de recursos, com o objetivo de equilibrar a demanda de recursos com o suprimento disponível.

350.       No / Node. Um dos pontos que definem uma rede de cronograma; um ponto de junção unido a algumas ou a todas as outras linhas de dependência.

351.       Objetivo / Objective. Algo em cuja direção o trabalho deve ser orientado, uma posição estratégica a ser alcançada ou um objetivo a ser atingido, um resultado a ser obtido, um produto a ser produzido ou um serviço a ser realizado.

352.       Observações / Observations. Uma técnica que fornece uma maneira direta de observar os indivíduos em seus ambientes de trabalho, desempenhando seus trabalhos ou tarefas, e executando processos.

353.       Oficinas facilitadas / Facilitated Workshops. Uma técnica para obtenção de informação que reúne as partes interessadas multifuncionais chave para definir os requisitos do produto.

354.       Opinião especializada / Expert Judgment. Opinião fornecida baseada em especialização numa área de aplicação, área de conhecimento, disciplina, setor econômico, etc. adequada para a atividade que esta sendo realizada. Essa especialização pode ser oferecida por qualquer grupo ou pessoa com formação, conhecimento, habilidade, experiência ou treinamento especializado.

355.       Oportunidade / Opportunity. Um risco que teria um efeito positivo em um ou mais objetivos do projeto.

356.       Orçamento / Budget. A estimativa aprovada para o projeto ou qualquer componente da estrutura analítica do projeto ou atividade do cronograma.

357.       Orçamento no término (ONT) / Budget at Completion (BAC). A soma de todos os orçamentos estabelecidos para a execução do trabalho.

358.       Organização executora / Performing Organization. A empresa cujos funcionários estão mais diretamente envolvidos na execução do trabalho do projeto.

359.       Organização funcional / Functional Organization. Uma organização hierárquica na qual cada funcionário tem um superior bem definido; e os funcionários são agrupados por áreas de especialização e gerenciados por uma pessoa especializada nessa área.

360.       Organização matricial / Matrix Organization. Qualquer estrutura organizacional na qual o gerente de projetos divide as responsabilidades com os gerentes funcionais para atribuição de prioridades e orientação do trabalho das pessoas alocadas no projeto.

361.       Organização patrocinadora / Sponsoring Organization. A entidade responsável por prover o patrocinador e um canal de financiamento do projeto, ou de outros recursos do projeto.

362.       Organização projetizada / Projectized Organization. Qualquer estrutura organizacional na qual o gerente de projetos possui autoridade total para atribuir prioridades, aplicar recursos e orientar o trabalho das pessoas alocadas no projeto.

363.       Organizações baseadas em projetos (OBPs) / Project Based Organizations (PBOs). Uma variedade de formas organizacionais que envolvem a criação de sistemas temporários para a execução dos projetos. As OBPs conduzem a maioria de suas atividades como projetos e/ou suportam abordagens por projetos, ao invés de abordagens funcionais.

364.       Organograma do projeto / Project Organization Chart. Um documento que representa graficamente os membros da equipe do projeto e seus inter-relacionamentos para um projeto específico.

365.       Orientar e gerenciar o trabalho do projeto / Direct and Manage Project Work. O processo de liderança e realização do trabalho definido no plano de gerenciamento do projeto e implementação das mudanças aprovadas para atingir os objetivos do projeto.

366.       Pacote de planejamento / Planning Package. Um componente da estrutura analítica do projeto posicionado abaixo da conta de controle e com conteúdo de trabalho conhecido, mas sem atividades do cronograma detalhadas. Veja também conta de controle.

367.       Pacote de trabalho / Work Package. O trabalho definido ao nível mais baixo da estrutura analítica do projeto para o qual o custo e a duração podem ser estimados e gerenciados.

368.       Padrão /Standard. Um documento que fornece, para use comum e repetido, regras, diretrizes ou características para atividades ou seus resultados, visando a obtenção de um grau ótimo de sequência em um dado contexto.

369.       Papel / Role. Um papel definido a ser realizado por um membro da equipe do projeto, como testes, arquivamento, inspeção ou codificação.

370.       Paralelismo / Fast Tracking. Uma técnica de compressão de cronograma em que as atividades ou fases normalmente executadas sequencialmente são executadas paralelamente durante, pelo menos, uma parte da sua duração.

371.       Parte interessada / Stakeholder. Um indivíduo, grupo ou organização que possa afetar, ser afetado, ou sentir-se afetado por uma decisão, atividade, ou resultado de um projeto.

372.       Patrocinador / Sponsor. Uma pessoa ou grupo que fornece os recursos e suporte para o projeto, programa ou portfólio, e é responsável pelo sucesso do mesmo.

373.       Percentual completo / Percent Complete. Uma estimativa, expressa como percentual, da quantidade de trabalho terminado em uma atividade ou num componente da estrutura analítica do projeto.

374.       Pesquisa de mercado / Market Research. O processo de coletar informações em conferências, críticas online, e em uma variedade de fontes para identificar capacidades de mercado.

375.       Pessoal de gerenciamento do projeto / Project Management Staff. Os membros da equipe do projeto que executam as atividades de gerenciamento do projeto, tais como o cronograma, as comunicações, o gerenciamento de riscos, etc.

376.       Planejamento em ondas sucessivas / Rolling Wave Planning. Uma técnica de planejamento repetitivo em que o trabalho a ser executado em curto prazo é planejado em detalhe, ao passo que o trabalho no futuro planejado a um nível mais alto.

377.       Planejar as respostas aos riscos / Plan Risk Responses. O processo de desenvolvimento de opções e ações para melhorar as oportunidades e reduzir as ameaças aos objetivos do projeto.

378.       Planejar o gerenciamento da qualidade / Plan Quality Management. O processo de identificação dos requisitos e/ou padrões de qualidade do projeto e suas entregas, além da documentação de como o projeto demonstrara conformidade com os requisitos e/ou padrões de qualidade.

379.       Planejar o gerenciamento das aquisições / Plan Procurement Management. O processo de documentação das decisões de compras do projeto, especificando a abordagem e identificando fornecedores em potencial.

380.       Planejar o gerenciamento das comunicações / Plan Communications Management. O processo de desenvolver uma abordagem apropriada e um plano de comunicação de projeto com base nas necessidades de informação e requisitos das partes interessadas, e nos ativos organizacionais disponíveis.

381.       Planejar o gerenciamento das partes interessadas / Plan Stakeholder Management. O processo de desenvolver estratégias apropriadas de gerenciamento para engajar as partes interessadas de maneira eficaz no decorrer de todo o ciclo de vida do projeto, com base na análise das suas necessidades, interesses, e impacto potencial no sucesso do projeto.

382.       Planejar o gerenciamento do cronograma / Plan Schedule Management. O processo de estabelecer as políticos, os procedimentos, e a documentação para o planejamento, desenvolvimento, gerenciamento, execução e controle do cronograma do projeto.

383.       Planejar o gerenciamento do escopo / Plan Scope Management. O processo de criar um plano de gestão do escopo do projeto que documenta como tai escopo será definido, validado, e controlado.

384.       Planejar o gerenciamento dos custos / Plan Cost Management. O processo de estabelecer as políticos, os procedimentos e a documentação necessários para o planejamento, gestão, despesas, e de controlar os custos do projeto.

385.       Planejar o gerenciamento dos recursos humanos / Plan Human Resource Management. O processo de identificação e documentação de papeis, responsabilidades, habilidades necessárias e relações hierárquicas do projeto, além da criação de um plano de gerenciamento de pessoal.

386.       Planejar o gerenciamento dos riscos / Plan Risk Management. O processo de definição de como conduzir as atividades de gerenciamento dos riscos de um projeto.

387.       Plano alternativo / Fallback Plan. Os planos alternativos incluem um conjunto de ações e atividades alternativas caso o plano principal precise ser abandonado em virtude de problemas, riscos, ou outros motivos.

388.       Plano de gerenciamento da qualidade / Quality Management Plan. Um componente do gerenciamento do projeto ou programa que descreve como as políticos de qualidade de uma organização serão implementadas.

389.       Plano de gerenciamento das aquisições / Procurement Management Plan. Um componente do plano de gerenciamento do projeto ou programa que descreve como a equipe do projeto adquirira produtos e serviços fora da organização executora.

390.       Plano de gerenciamento das comunicações / Communications Management Plan. Um componente do plano de gerenciamento do projeto, programa, ou portfólio que descreve como, quando, e por quem as informações sobre o projeto são administradas e disseminadas.

391.       Plano de gerenciamento das partes interessadas / Stakeholder Management Plan. O plano de gerenciamento das partes interessadas e um plano subsidiário do plano de gerenciamento do projeto que define os processos, procedimentos, ferramentas e técnicas para engajar efetivamente as partes interessadas nas decisões e execução do projeto, com base na análise das suas necessidades, interesses, e impacto potencial.

392.       Plano de gerenciamento de pessoal / Staffing Management Plan. Um componente do plano de recursos humanos que descreve quando e como os membros da equipe serão contratados ou mobilizados, e por quanto tempo seus serviços serão necessários.

393.       Plano de gerenciamento do cronograma / Schedule Management Plan. Um componente do plano de gerenciamento do projeto que estabelece os critérios e as atividades para o desenvolvimento, monitoração, e controle do cronograma.

394.       Plano de gerenciamento do escopo / Scope Management Plan. Um componente do plano de gerenciamento do projeto ou programa que descreve como o escopo será definido, desenvolvido, monitorado, controlado, e verificado.

395.       Plano de gerenciamento do projeto / Project Management Plan. O documento que descreve como o projeto será executado, monitorado, e controlado.

396.             Plano de gerenciamento dos custos / Cost Management Plan. Um componente de um plano de gerenciamento de projetos ou programa que descreve como os custos serão planejados, estruturados, e controlados.

397.       Plano de gerenciamento dos recursos humanos / Human Resource Management Plan. Um componente do plano de gerenciamento do projeto que descreve como os papeis e responsabilidades, a estrutura hierárquica, e o gerenciamento do pessoal serão abordados e estruturados.

398.       Plano de gerenciamento dos requisitos / Requirements Management Plan. Um componente do plano de gerenciamento do projeto ou programa que descreve como os requisitos serão analisados, documentados, e gerenciados.

399.       Plano de gerenciamento dos riscos / Risk Management Plan. Um componente do plano de gerenciamento do projeto, programa, ou do portfólio que descreve como as atividades de gerenciamento de riscos serão estruturadas e executadas.

400.       Plano de melhorias no processo / Process Improvement Plan. Um plano subsidiário do plano de gerenciamento do projeto. Ele detalha as etapas de análise dos processos para identificar atividades que aprimorem seu valor.

401.       Pluralidade / Plurality. Decisões tomadas pelo maior bioco em um grupo, mesmo se a maioria não for alcançada.

402.       Politica / Policy. Um padrão estruturado de ações adotado pela organização tal que a politica da organização possa ser explicada como um conjunto de princípios básicos que governam a conduta da mesma.

403.       Politica de qualidade / Quality Policy. Uma politica específica da área de Conhecimentos de Gerenciamento da Qualidade do projeto que estabelece os princípios básicos que devem governar as ações da organização, medida que ela implementa seus sistemas de gerenciamento da qualidade.

404.       Portfolio / Portfolio. Projetos, programas, sub-portfólios e operações gerenciados em grupo, para alcançar objetivos estratégicos.

405.       Pratica / Practice. Um tipo específico de atividade profissional ou de gerenciamento que contribui para a execução de um processo e que pode empregar uma ou mais técnicas e ferramentas.

406.       Precisão / Precision. Em sistema de gerenciamento da qualidade, precisão é uma medida de exatidão.

407.       Premissa / Assumption. Um fator do processo de planejamento considerado verdadeiro, real ou certo, sem a necessidade de prova ou demonstração.

408.       Prevenção de riscos / Risk Avoidance. Uma estratégia de resposta ao risco em que a equipe do projeto age para eliminar a ameaça ou proteger o projeto contra o seu impacto.

409.       Previsão / Forecast. Uma estimativa ou prognóstico de condições e eventos futuros do projeto com base nas informações e conhecimento disponíveis no momento da previsão. As informações se baseiam no desempenho passado e no desempenho futuro esperado do projeto e incluem dados que poderiam afetar o projeto no futuro, como estimativa no término e estimativa para terminar.

410.       Previsões de cronograma / Schedule Forecasts. Estimativas ou prognósticos de condições e eventos futuros do projeto com base nas informações e no conhecimento disponíveis no momento em que o cronograma é calculado.

411.       Procedimento / Procedure. Um método estabelecido para alcançar um desempenho ou resultado consistente. Um procedimento pode ser tipicamente descrito como a sequência de etapas a serem usadas para executar um processo.

412.       Processo / Process. Uma serie de atividades sistemáticas direcionadas para alcançar um resultado final de tal forma que se aja em relação a uma ou mais entradas a fim de criar uma ou mais saídas.

413.       Produto / Product. Um artefato produzido, quantificável e que pode ser um item final ou um item componente. Produtos também são chamados de materiais ou bens. Compare com resultado. Veja também entrega.

414.       Programa / Program. Um grupo de projetos, subprogramas e atividades do programa relacionados e que são gerenciados de modo coordenado para a obtenção de benefícios e controle que não estariam disponíveis se eles fossem gerenciados individualmente.

415.       Projeto / Project. Um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado único.

416.       Projeto de experimentos / Design of Experiments. O projeto de experimentos (Design Of Experiments - DOE) é um método estatístico para identificar os fatores que podem influenciar variáveis específicas de um produto ou processo em desenvolvimento ou em produção.

417.       Propostas de fornecedores / Seller Proposals. Um fornecedor que passou por um processo de seleção previa para fazer parte de uma minoria seleta que poderá competir ou estar apta a participar de futuras aquisições.

418.       Protótipos / Prototypes. Construir um protótipo e um método para se obter respostas iniciais sobre os requisitos através de um modelo funcional do produto esperado, antes de construí-lo.

419.       Provisão para contingencias / Contingency Allowance. Veja reserve.

420.       Publicidade / Advertising. O processo de chamar a atenção do público para um projeto ou esforço.

421.       Qualidade / Quality. O grau com que um conjunto de características inerentes atende aos requisitos.

422.       Questão / Issue. Um ponto ou assunto em discussão ou em disputa ou um ponto ou assunto que não esta resolvido e esta sob discussão ou sobre o qual existem pontos de vista opostos ou desacordos.

423.       Questionários e pesquisas / Questionnaires and Surveys. Conjuntos de perguntas por escrito elaborados para rapidamente obter informações de um grande número de respondentes.

424.       RACI / RACI. Um tipo comum de matriz de alocação de responsabilidades que indica os papeis Responsável pela execução, responsável pela Aprovação, deve ser Consultado e deve ser Informado para definir o tipo de envolvimento das partes interessadas nas atividades do projeto.

425.       Realizar a análise qualitativa dos riscos / Perform Qualitative Risk Analysis. O processo de priorização de riscos para posterior análise ou ação através da avaliação e combinação de sua probabilidade de ocorrência e impacto.

426.       Realizar a análise quantitativa dos riscos / Perform Quantitative Risk Analysis. O processo de analisar numericamente o efeito dos riscos identificados nos objetivos gerais do projeto.

427.       Realizar a garantia da qualidade / Perform Quality Assurance. O processo de auditoria dos requisitos de qualidade e dos resultados das medições de controle de qualidade para garantir que sejam usados os padrões de qualidade e definições operacionais apropriados.

428.       Realizar o controle integrado de mudanças / Perform Integrated Change Control. O processo de análise de todas as solicitações de mudança, aprovação de mudanças e gerenciamento das mudanças aprovadas nas entregas, ativos de processos organizacionais, documentos de projeto e plano de gerenciamento do projeto, e comunicando sobre sua abordagem.

429.       Reavaliação de riscos / Risk Reassessment. A reavaliação de riscos consiste na identificação de novos riscos, reavaliação dos riscos atuais, e no fechamento dos riscos que estão desatualizados.

430.       Reconciliação dos limites de recursos financeiros / Funding Limit Reconciliation. O processo de comparar os gastos planejados dos fundos alocados ao projeto com quaisquer limites de comprometimento de fundos alocados ao projeto para identificar quaisquer variações entre os limites dos fundos e as despesas planejadas.

431.       Recurso / Resource. Recursos humanos especializados (disciplinas específicas, individualmente ou em grupos ou equipes), equipamentos, serviços, suprimentos, commodities, materiais, orçamentos ou fundos.

432.       Rede / Network. Veja diagrama de rede do cronograma do projeto.

433.       Rede de relacionamentos / Networking. Estabelecer ligações e relacionamentos com outras pessoas da mesma organização, ou de outras organizações.

434.       Registro / Log. Um documento usado para registrar e descrever ou indicar itens selecionados identificados durante a execução de um processo ou atividade. Geralmente usado com um modificador, como: questões/ problemas, controle da qualidade, ações ou defeitos.

435.       Registro das mudanças / Change Log. Uma lista abrangente das mudanças feitas durante o projeto. Ela tipicamente inclui as datas das mudanças e os impactos em termos de tempo, custo e risco.

436.       Registro das partes interessadas / Stakeholder Register. Um documento do projeto que inclui a identificação, avaliação, e a classificação das partes interessadas do projeto.

437.       Registro das questões / Issue Log. Um documento do projeto usado para documentar e monitorar os elementos em discussão ou em disputa entre as partes interessadas no projeto.

438.       Registro dos riscos / Risk Register. O documento em que os resultados da análise dos riscos e o planejamento das respostas aos riscos são registrados.

439.       Regras básicas / Ground Rules. Expectativas relacionadas com o comportamento aceitável dos membros da equipe do projeto.

440.       Regulamentação / Regulation. Requisitos impostos por um órgão governamental. Esses requisitos podem estabelecer características de um produto, processo ou serviço inclusive clausulas administrativas aplicáveis que devem estar de acordo com a legislação governamental.

441.       Reivindicação / Claim. Uma solicitação, exigência ou declaração de direitos feita por um fornecedor em relação a um comprador ou vice versa, para consideração, compensação ou pagamento sob os termos de um contrato legal, como no caso de uma mudança contestada.

442.       Relação de precedência / Precedence Relationship. O termo utilizado no método do diagrama de precedência para um relacionamento lógico. No entanto, no use atual, os termos relação de precedência, relacionamento lógico e dependência são amplamente utilizados de forma intercambiável, independentemente do método de diagramação empregado. Veja também relacionamento logico.

443.       Relacionamento logico / Logical Relationship. Dependência entre duas atividades, ou entre uma atividade e um marco.

444.       Relatórios de desempenho / Performance Reporting. Ver relatórios de desempenho de trabalho.

445.       Relatórios de desempenho do trabalho / Work Performance Reports. A representação física ou eletrônica das informações de desempenho do trabalho compiladas em documentos do projeto para a criação de decisões, ações, ou ciência.

446.       Remuneração / Fee. Representa o lucro como um componente de compensação ao vendedor.

447.       Remuneração de incentivo / Incentive Fee. Um conjunto de incentivos financeiros relacionados ao desempenho técnico, de cronograma ou de custos do fornecedor.

448.       Reparo de defeito / Defect Repair. Uma atividade intencional para modificar um produto ou componente do produto não conforme.

449.       Requisito / Requirement. Uma condição ou capacidade cuja presença em um produto, serviço ou resultado é exigida para satisfazer um contrato ou outra especificação formalmente imposta.

450.       Requisito de qualidade / Quality Requirement. Uma condição ou aptidão usada para avaliar a conformidade, validando a aceitabilidade de um atributo em relação a qualidade de um resultado.

451.       Requisitos de recursos das atividades / Activity Resource Requirements. Os tipos e quantidades de recursos exigidos para cada atividade de um pacote de trabalho.

452.       Requisitos de recursos financeiros do projeto / Project Funding Requirements. Custos de projetos previstos a serem pagos, provenientes da linha de base de custos de requisitos totais ou periódicos, incluindo despesas projetadas mais responsabilidades antecipadas.

453.       Reserva / Reserve. Uma provisão no plano de gerenciamento do projeto para mitigar os riscos de custos e/ou de cronograma. Muitas vezes usada com um modificador (por exemplo, reserva de gerenciamento, reserva de contingencia) para fornecer mais detalhes sobre que tipos de risco devem ser mitigados.

454.       Reserva de contingencia / Contingency Reserve. Orçamento contido na linha de base de custo ou na linha de base da medição de desempenho alocado para riscos identificados que são aceitos e para os quais respostas contingentes ou mitigadoras são desenvolvidas.

455.       Reserva gerencial / Management Reserve. Uma porção do orçamento do projeto retida para fins de controle do gerenciamento. Estes são orçamentos reservados para o trabalho inesperado que esta dentro do escopo do projeto. A reserva gerencial não esta incluída na linha de base da medição de desempenho.

456.       Responsabilidade / Responsibility. Uma tarefa que pode ser alocada dentro do plano de gerenciamento do projeto de tai maneira que o recurso designado esteja sujeito a obrigação de executar os requisitos da tarefa.

457.       Restrição / Constraint. Um fator limitador que afeta a execução de um projeto, programa, portfólio, ou processo.

458.       Restrições de comunicação / Communication Constraints. Restrições de conteúdo, prazo, audiência, ou do individuo que ira fazer uma comunicação, geralmente resultantes de legislações e regulamentos específicos, tecnologia, ou de políticos organizacionais.

459.       Resultado / Result. Uma saída dos processos e atividades de gerenciamento de projetos. Os resultados incluem efeitos (por exemplo, sistemas integrados, processo revisado, organização reestruturada, testes, pessoal treinado, etc.) e documentos (por exemplo, políticos, planos, estudos, procedimentos, especificações, relatórios, etc.). Compare com produto. Veja também entrega.

460.       Retrabalho / Rework. Ação tomada para fazer com que um componente imperfeito ou fora das específicações fique em conformidade com os requisitos ou específicações.

461.       Reunião com licitantes / Bidder Conference. Reuniões com vendedores potenciais antes da preparação de uma licitação ou proposta para garantir que todos os fornecedores potenciais tenham uma compreensão clara e comum do processo de aquisição. Também conhecidas como reuniões com contratados, reuniões com prestadores de serviços, ou reuniões pré-licitação.

462.       Revisão de fase / Phase Gate. Uma análise no final de uma fase em que uma decisão é tomada em relação a passar para a fase seguinte, continuar com modificações, ou finalizar um projeto ou programa.

463.       Revisões de documentação / Documentation Reviews. Processo de coletar e revisar uma coletânea de informações para determinar sua precisão e completa realização.

464.       Risco / Risk. Um evento ou condição incerta que, se ocorrer, provocara um efeito positivo ou negativo em um ou mais objetivos do projeto.

465.       Risco residual / Residual Risk. Um risco que continua a existir mesmo após as respostas ao risco terem silo implementadas.

466.       Risco secundário / Secondary Risk. Um risco que surge como resultado direto da implementação de uma resposta aos riscos.

467.       Saída / Output. Um produto, resultado ou serviço gerado por um processo. Pode ser um dado necessário como entrada para um processo sucessor.

468.       Satisfação do cliente / Customer Satisfaction. No contexto do sistema de gerenciamento de qualidade, um estado de satisfação em que as necessidades do cliente são atendidas ou excedidas em relação as expectativas do mesmo, avaliadas pelo cliente no momento da avaliação.

469.       Scope creep I Scope Creep. O aumento sem controle do produto ou escopo do projeto sem ajustes de tempo, custo, e recursos.

470.       Sequênciar as atividades / Sequence Activities. O processo de identificação e documentação dos relacionamentos entre as atividades do projeto.

471.       Sete ferramentas de qualidade básicas / Seven Basic Quality Tools. Um kit padrão de ferramentas usado por profissionais de gerenciamento de qualidade responsáveis pelo planejamento, monitoramento, e controle das questões relacionadas com a qualidade de uma organização.

472.       Simulação / Simulation. Uma simulação utiliza um modelo de projeto que representa as incertezas especificadas de maneira detalhada em relação a seu possível impacto nos objetivos expressos no nível do projeto como um todo. As simulações de projetos usam modelos computacionais e estimativas de risco, geralmente expressas como uma distribuição de probabilidade dos possíveis custos ou durações em um nível de trabalho detalhado, e são normalmente realizadas utilizando a Simulação de Monte Carlo.

473.       Simulação de Monte Carlo / Monte Carlo Simulation. Um processo que gera centenas ou milhares de resultados prováveis de desempenho com base em distribuições de probabilidade dos custos e do cronograma em tarefas distintas. Os resultados são então usados para gerar uma distribuição de probabilidades para o projeto como um todo.

474.       Sistema de autorização de trabalho / Work Authorization System. Um subsistema do sistema de gerenciamento de projetos global. E um conjunto de procedimentos formais documentados que define como o trabalho do projeto será autorizado (comprometido) para garantir que o trabalho será realizado pela organização identificada, no momento certo e na sequência adequada. Ele inclui os passos, os documentos, o sistema de acompanhamento e os níveis de aprovação definidos necessários para a emissão de autorizações de trabalho.

475.       Sistema de controle de mudanças / Change Control System. Um conjunto de procedimentos que descreve como as modificações nas entregas do projeto e sua respectiva documentação se() gerenciadas e controladas.

476.       Sistema de controle de mudanças no contrato / Contract Change Control System. Sistema usado para coletar, rastrear, adjudicar, e comunicar as mudanças de um contrato.

477.       Sistema de gerenciamento de configuração / Configuration Management System. Um subsistema do sistema de gerenciamento de projetos global. E um conjunto de procedimentos formais documentados, usados para aplicar orientação e supervise() técnicas e administrativas para: identificar e documentar as características funcionais e físicas de um produto, resultado, serviço ou componente, controlar quaisquer mudanças feitas nessas características, registrar e relatar cada mudança e o andamento de sua implementação e dar suporte a auditoria dos produtos, resultados ou componentes para verificar a conformidade com os requisitos. Ele inclui a documentação, os sistemas de acompanhamento e os níveis de aprovação definidos necessários para autorização e controle das mudanças.

478.       Sistema de gerenciamento de projetos / Project Management System. A associação dos processos, ferramentas, técnicas, metodologias, recursos e procedimentos para o gerenciamento de um projeto.

479.       Sistema de gerenciamento de qualidade / Quality Management System. A estrutura organizacional que prove as politicas, processos, procedimentos e recursos exigidos para implementar o plano de gerenciamento de qualidade. Um plano de gerenciamento de qualidade típico deve ser compatível com o sistema de gerenciamento da qualidade da organização.

480.       Sistema de gerenciamento de registros / Records Management System. Um conjunto específico de processos e funções relacionadas com o controle, e ferramentas que são consolidadas e combinadas para registrar e reter informações sobre o projeto.

481.       Sistema de informações de gerenciamento de projeto / Project Management Information System. Um sistema de informações que consiste de ferramentas e técnicas usadas para reunir, integrar e disseminar as saídas dos processos de gerenciamento de projetos. Ele é usado para dar suporte a todos os aspectos do projeto, da iniciação ao encerramento, e pode incluir sistemas manuais e automatizados.

482.       Sistemas de distribuição de informações / Reporting Systems. Instrumentos, processos e procedimentos usados para gerar ou consolidar informações de um ou mais sistemas de gerenciamento de informações, e facilitar a distribuição de informações entre as partes interessadas do projeto.

483.       Sistemas de gerenciamento de informações / Information Management Systems. Instalações, equipamentos, serviços, processos, e procedimentos usados para coletar, armazenar e distribuir informações entre produtores e consumidores de informações, em formato físico ou eletrônico.

484.       Sistemas de pagamento / Payment Systems. O sistema usado para prover e rastrear faturas e pagamentos do fornecedor de serviços e produtos.

485.       Soft logic / Soft Logic. Ver dependência discricionária.

486.       Solicitação de cotação (SDC) / Request for Quotation (RFQ). Um tipo de documento de aquisição usado para solicitar cotações de preços de produtos ou serviços comuns ou padrão de possíveis fornecedores. As vezes a usado no lugar de solicitação de proposta e, em algumas áreas de aplicação, pode ter um significado mais restrito ou mais específico.

487.       Solicitação de informações (SDI) / Request for Information (RFI). Um tipo de documento de aquisição pelo qual o comprador solicita a um possível fornecedor que forneça varias informações relacionadas a um produto, serviço ou capacidade do fornecedor.

488.       Solicitação de mudança / Change Request. Uma proposta formal para modificar qualquer documento, entrega ou linha de base.

489.       Solicitação de mudança aprovada / Approved Change Request. Uma solicitação de mudança que foi processada e aprovada através do processo de realizar o controle integrado de mudanças.

490.       Solicitação de proposta (SDP) / Request for Proposal (RFP). Um tipo de documento de aquisição usado para solicitar propostas de produtos ou serviços de possíveis fornecedores. Em algumas áreas de aplicação, pode ter um significado mais restrito ou mais específico.

491.       Subprojeto / Subproject. Uma parte menor do projeto total, criada quando um projeto é subdividido em componentes ou partes mais facilmente gerenciáveis.

492.       Sub-rede / Subnetwork. Uma subdivisão (fragmento) de um diagrama de rede do cronograma do projeto, normalmente representando um subprojeto ou um pacote de trabalho. E usada com frequência para ilustrar ou estudar alguma condição possível ou proposta do cronograma, como mudanças na lógica preferencial do cronograma ou no escopo do projeto.

493.       Tailoring I Tailor. O ato de selecionar cuidadosamente os processos e as entradas e saídas relacionadas, contidos no Guia PMBOK para estabelecer um subgrupo de processos específicos que serão incluídos na abordagem de gerenciamento geral do projeto.

494.       Técnica / Technique. Um procedimento sistemático definido usado por um recurso humano para realizar uma atividade a fim de produzir um produto ou resultado ou entregar um serviço, e que pode empregar uma ou mais ferramentas.

495.       Técnica de grupo nominal / Nominal Group Technique. Essa técnica amplia o brainstorming adicionando um processo de votação para ordenar as melhores ideias e as levando para um brainstorming adicional ou priorização.

496.       Técnica de revisão e avaliação de programa (PERT) / Program Evaluation and Review Technique (PERT). Uma técnica de estimativa que aplica uma media ponderada de estimativas otimista, pessimista e mais provável quando existe incerteza em relação as estimativas da atividade distinta.

497.       Técnica Delphi / Delphi Technique. Uma técnica de coleta de informações utilizada como meio de alcançar um consenso de especialistas em um assunto. Nesta técnica, os especialistas no assunto participam anonimamente. Um facilitador usa um questionário para solicitar ideias sobre os pontos importantes do projeto relacionados ao assunto. As respostas são resumidas e então redistribuídas aos especialistas para comentários adicionais. O consenso pode ser alcançado após algumas rodadas desse processo. A técnica Delphi ajuda a reduzir o viés de parcialidade nos dados e evita que alguém possa indevidamente influenciar o resultado.

498.       Técnicas analíticas / Analytical Techniques. Diversas técnicas usadas para avaliar, analisar ou prever resultados potenciais, com base em possíveis variações do projeto ou variáveis ambientais e seus relacionamentos com outras variáveis.

499.       Técnicas de avaliação de propostas / Proposal Evaluation Techniques. O processo de avaliação das propostas entregues pelos fornecedores para suportar as decisões relativas a concessão de contratos.

500.       Técnicas de coleta de informações / Information Gathering Techniques. Processos repetíveis usados para reunir e organizar dados por um espectro de fontes.

501.       Técnicas de coleta e apresentação de dados / Data Gathering and Representation Techniques. Projetam a coleta, organização e apresentação dos dados e informações.

502.       Técnicas de criatividade em grupo / Group Creativity Techniques. Técnicas usadas para gerar ideias em um grupo de partes interessadas.

503.       Técnicas de diagramas / Diagramming Techniques. Abordagens de apresentação de informações com conexões lógicas, que ajudam a compreensão.

504.       Técnicas de modelagem e análise quantitativa dos riscos / Quantitative Risk Analysis and Modeling Techniques. Técnicas comumente usadas em análises que utilizam abordagens orientadas a eventos ou a projetos.

505.       Técnicas de otimização de recursos / Resource Optimization Techniques. Uma técnica usada para ajustar as datas de início e término das atividades que ajusta o use planejado dos recursos para ser igual a, ou inferior a disponibilidade de recursos.

506.       Técnicas de tomada de decisão em grupo / Group Decision-Making Techniques. Técnicas para avaliar múltiplas alternativas que serão usadas para gerar, classificar, e priorizar os requisitos do produto.

507.       Tecnologias de comunicações / Communication Technology. Ferramentas, sistemas, programas de computador, etc. usados para transferir informações entre as partes interessadas no projeto.

508.       Tendência central / Central Tendency. Uma propriedade do teorema do limite central que prediz que as observações de dados de uma distribuição tenderão a se agrupar em torno de um local central. As três medidas típicas da tendência central são a media, moda e mediana.

509.       Término para início (TI) / Finish-to-Start (FS). Um relacionamento lógico em que uma atividade sucessora não pode começar ate que uma atividade predecessora tenha terminado.

510.       Término para término (TT) / Finish-to-Finish (FF). Um relacionamento lógico em que uma atividade sucessora não pode terminar ate que a atividade predecessora tenha terminado.

511.       Termo de abertura / Charter. Veja termo de abertura do projeto.

512.       Termo de abertura do projeto / Project Charter. Um documento publicado pelo iniciador ou patrocinador do projeto que autoriza formalmente a existência de um projeto e concede ao gerente do projeto a autoridade para aplicar os recursos organizacionais nas atividades do projeto.

513.       Tolerância / Tolerance. A descrição quantificada de variação aceitável para um requisito de qualidade.

514.       Tolerância a riscos / Risk Tolerance. O grau, a quantidade ou o volume de risco ao qual uma organização ou um individuo esta disposto a tolerar.

515.       Trabalho de adequação / Conformance Work. Na estrutura de custos da qualidade, o trabalho de adequação e executado para compensar as imperfeições que impedem as organizações de completar as atividades planejadas corretamente como trabalho essencial executado pela primeira vez. O trabalho de adequação consiste em ações relacionadas com prevenção e inspeção.

516.       Trabalho de não conformidade / Nonconformance Work. Na estrutura do Custo da qualidade, o trabalho de não conformidade é executado para se lidar com as consequências dos erros e falhas na realização de atividades executadas incorretamente na primeira tentativa. Nos sistemas de gerenciamento de qualidade eficientes, a quantidade de trabalho de não conformidade será de quase zero.

517.       Transferência de riscos / Risk Transference. Uma estratégia de resposta ao risco em que a equipe do projeto transfere o impacto de uma ameaça para terceiros, juntamente com a responsabilidade pela sua resposta.

518.       Unanimidade / Unanimity. Acordo entre todos os membros do grupo sobre uma linha de procedimento única.

519.       Validação / Validation. A garantia de que um produto, serviço ou sistema atende as necessidades do cliente e de outras partes interessadas. Muitas vezes, envolve a aceitação e adequabilidade com clientes externos. Compare com verificação.

520.       Validar o escopo / Validate Scope. O processo de formalização da aceitação das entregas terminadas do projeto.

521.       Valor agregado (VA) / Earned Value (EV). A medida do trabalho executado expressa em termos do orçamento autorizado para tal trabalho.

522.       Valor de negocio / Business Value. Um conceito único para cada organização, que inclui elementos tangíveis e intangíveis. Através do use eficaz de disciplinas de projeto, programa, e de gestão de portfólio, as organizações estarão capacitadas a empregar processos confiáveis e estabelecidos para atingir os objetivos empresariais e obter maior valor de negócio de seus investimentos.

523.       Valor planejado (VP) / Planned Value (PV). O orçamento autorizado designado ao trabalho agendado.

524.       Variação / Variation. Uma condição real que a diferente da condição esperada contida na linha de base do plano.

525.       Variação de custos (VC) / Cost Variance (CV). A quantidade de déficit ou excedente orçamentário em um determinado momento, expressa como a diferença entre o valor agregado e o custo real.

526.       Variação de prazos (VPR) / Schedule Variance (SV). Uma medida de desempenho do cronograma expressa como a diferença entre o valor agregado e o valor planejado.

527.       Variação no término (VNT) / Variance At Completion (VAC). Uma projeção da quantidade do déficit ou do excedente do orçamento, expressa como a diferença entre o orçamento no término e a estimativa no término.

528.       Variância / Variance. Um desvio, um afastamento ou uma divergência quantificável em relação a uma linha de base conhecida ou a um valor esperado.

529.       Velocidade / Velocity. Uma métrica da taxa de produtividade de uma equipe em que as entregas são produzidas, validadas, e aceitas dentro de um intervalo pré-definido. A velocidade é uma abordagem de planejamento da capacidade, frequentemente usada para projetar os trabalhos futuros de um projeto.

530.       Verificação / Verification. A avaliação da conformidade de um produto, serviço ou sistema com alguma regra, requisito, especificação ou condição imposta. A verificação e, muitas vezes, um processo interno. Compare com validação

531.       Voz do cliente / Voice of the Customer. Uma técnica de planejamento usada para fornecer produtos, serviços e resultados que refletem verdadeiramente os requisitos do cliente, transformando esses requisitos em requisitos técnicos adequados para cada fase do desenvolvimento do produto do projeto.